Receitas de coquetéis, destilados e bares locais

Sam Sifton lança livro de receitas de Ação de Graças

Sam Sifton lança livro de receitas de Ação de Graças

O ex-crítico gastronômico do New York Times está lançando um guia de Ação de Graças em outubro

O ex-crítico gastronômico do New York Times Sam Sifton (agora editor do National) está entrando no trem da oferta de um livro. Rua Grub relatou que Sifton lançará uma espécie de livro de receitas, intitulado Ação de graças: como cozinhar bem.

Sifton anunciou o lançamento via Twitter, com um "GOTDAM" bem simples. De acordo com a Amazon, Livro de Sifton será "um guia definitivo e atemporal para o jantar de Ação de Graças - como prepará-lo, sobrevivê-lo e realizá-lo com estilo".

Incluirá "receitas simples e à prova de idiotas", com "novas abordagens em relação a velhos produtos ... tortas robustas e coquetéis festivos", sem falar no estilo divertido e nas dicas de hospedagem. Esperamos que também haja anedotas de dramas da família Sifton (ou táticas para aversão ao drama), além de recomendações para o Dia de Ação de Graças na cidade. Ei, podemos sonhar.

Ação de graças será lançado em 30 de outubro de 2012 e está em pré-venda por US $ 16,89 na Amazon. Nada mal, Sifton. Confira a capa, cortesia da Random House, abaixo.

Jessica Chou é editora associada do The Daily Meal. Siga ela no twitter @jesschou.


Sam Sifton lança o livro de receitas do Dia de Ação de Graças - Receitas

Algumas semanas atrás, cheguei em casa com um pacote de papelão esperando pelo correio. Dentro estava o livro fino de Sam Sifton # 39 intitulado simplesmente: Ação de graças, e então, mais abaixo na jaqueta, Como cozinhar bem. Nós vamos, Pensei, deslizando o livro sobre a mesa de centro, quem precisa de um todo livro nesse assunto?

Porém, mais tarde naquela noite, abri o livro e comecei a ler. Afinal, tinha apenas 125 páginas e eu sou um fã da escrita de Sifton há muito tempo. Quando, no final da introdução, comecei a rir alto enquanto lia - um livro sobre como preparar Jantar de ação de graças, pessoas - eu sei que ele estava no caminho certo.

O manifesto de Sifton é um deleite total. É mandão, engraçado e infinitamente útil. Eu diria que ele merece um lugar em cada registro de casamento ou lista de presentes de inauguração. Cobre tudo: o peru, sim, os acompanhamentos e a sobremesa. Mas também informa o que fazer com o caldo de peru e como usar os restos de comida. Diz a você o que não comer no Dia de Ação de Graças (salada! Alho! Chocolate!) E como evitar um desastre se você decidir fritar seu peru (almas mais corajosas do que eu). Ele contém REGRAS e IDEIAS sobre coisas tão variadas quanto a música que você ouvirá quando começar a cozinhar e quão baratos podem ser os utensílios de cozinha que você usa. É, às vezes, calmante e severo, engraçado e muito focado. eu não tenho curtiu eu mesmo tanto lendo um livro sobre comida há muito tempo.

E enquanto eu lia, percebi algo crucial sobre este livro. Sim, é verdade que você pode não precisar de todas as receitas que Sifton propõe. Você já pode ser dedicado à geléia de cranberry de sua tia, ao recheio de seu sogro ou aos inhames caramelados de sua avó (embora eu não possa esperar para experimentar couve de bruxelas refogada Sifton & # 39s com migalhas de pão com manteiga e torta de noz-pecã, para não mencionar seu peru Gumbo no dia seguinte). Mas o negócio muito maior é este: reunir todos os elementos de uma festa de Ação de Graças, não apenas comida, mas tudo, desde o trabalho de preparação até as bebidas servidas e os arranjos dos assentos, é um empreendimento desanimador. Eu ousaria dizer que só o pensamento já assustou muitas supostas anfitriãs ou anfitriãs da ideia. Mas Sifton se propôs a fazer você se sentir corajoso e capaz. Com este livro, ele segura sua mão e o incentiva em todo o caminho. É uma cozinha totalmente essencial.

Infelizmente, não estarei preparando uma refeição de Ação de Graças este ano - estaremos em Kassel em uma cozinha muito pequena - mas estes são meus itens indispensáveis ​​para o Dia de Ação de Graças, caso seu menu ainda precise ser aprimorado:

Comentários

Algumas semanas atrás, cheguei em casa com um pacote de papelão esperando pelo correio. Dentro estava o livro fino de Sam Sifton # 39 intitulado simplesmente: Ação de graças, e então, mais abaixo na jaqueta, Como cozinhar bem. Nós vamos, Pensei, deslizando o livro sobre a mesa de centro, quem precisa de um todo livro nesse assunto?

Porém, mais tarde naquela noite, abri o livro e comecei a ler. Afinal, tinha apenas 125 páginas e eu sou um fã da escrita de Sifton há muito tempo. Quando, no final da introdução, comecei a rir alto enquanto lia - um livro sobre como preparar Jantar de ação de graças, pessoas - eu sei que ele estava no caminho certo.

O manifesto de Sifton é um deleite total. É mandão, engraçado e infinitamente útil. Eu diria que ele merece um lugar em cada registro de casamento ou lista de presentes de inauguração. Cobre tudo: o peru, sim, os acompanhamentos e a sobremesa. Mas também informa o que fazer com o caldo de peru e como usar os restos de comida. Diz a você o que não comer no Dia de Ação de Graças (salada! Alho! Chocolate!) E como evitar um desastre se você decidir fritar seu peru (almas mais corajosas do que eu). Tem REGRAS e IDÉIAS sobre coisas tão variadas quanto a música que você ouvirá quando começar a cozinhar e quão baratos podem ser os utensílios de cozinha que você usa. É, às vezes, calmante e severo, engraçado e muito focado. eu não tenho curtiu eu mesmo tanto lendo um livro sobre comida há muito tempo.

E enquanto eu lia, percebi algo crucial sobre este livro. Sim, é verdade que você pode não precisar de todas as receitas que Sifton propõe. Você já pode ser dedicado à geléia de cranberry de sua tia, ao recheio de seu sogro ou aos inhames caramelados de sua avó (embora eu não possa esperar para experimentar couve de bruxelas refogada Sifton & # 39s com migalhas de pão com manteiga e torta de noz-pecã, para não mencionar seu peru Gumbo no dia seguinte). Mas o negócio muito maior é este: reunir todos os elementos de uma festa de Ação de Graças, não apenas comida, mas tudo, desde o trabalho de preparação até as bebidas servidas e os arranjos dos assentos, é um empreendimento assustador. Eu ousaria dizer que só o pensamento já assustou muitas supostas anfitriãs ou anfitriãs da ideia. Mas Sifton se propôs a fazer você se sentir corajoso e capaz. Com este livro, ele segura sua mão e o incentiva em todo o caminho. É uma cozinha totalmente essencial.

Infelizmente, não estarei preparando uma refeição de Ação de Graças este ano - estaremos em Kassel em uma cozinha muito pequena - mas estes são meus itens indispensáveis ​​para o Dia de Ação de Graças, caso seu menu ainda precise ser aprimorado:


Sam Sifton lança o livro de receitas do Dia de Ação de Graças - Receitas

Algumas semanas atrás, cheguei em casa com um pacote de papelão esperando pelo correio. Dentro estava o livro fino de Sam Sifton # 39 intitulado simplesmente: Ação de graças, e então, mais abaixo na jaqueta, Como cozinhar bem. Nós vamos, Pensei, deslizando o livro sobre a mesa de centro, quem precisa de um todo livro nesse assunto?

Porém, mais tarde naquela noite, abri o livro e comecei a ler. Afinal, tinha apenas 125 páginas e eu sou um fã da escrita de Sifton há muito tempo. Quando, no final da introdução, comecei a rir alto enquanto lia - um livro sobre como preparar Jantar de ação de graças, pessoas - eu sei que ele estava no caminho certo.

O manifesto de Sifton é um deleite total. É mandão, engraçado e infinitamente útil. Eu diria que ele merece um lugar em cada registro de casamento ou lista de presentes de inauguração. Cobre tudo: o peru, sim, os acompanhamentos e a sobremesa. Mas também informa o que fazer com o caldo de peru e como usar os restos de comida. Diz a você o que não comer no Dia de Ação de Graças (salada! Alho! Chocolate!) E como evitar um desastre se você decidir fritar seu peru (almas mais corajosas do que eu). Tem REGRAS e IDÉIAS sobre coisas tão variadas quanto a música que você ouvirá quando começar a cozinhar e quão baratos podem ser os utensílios de cozinha que você usa. É, às vezes, calmante e severo, engraçado e muito focado. eu não tenho curtiu eu mesma tanto lendo um livro sobre comida há muito tempo.

E enquanto eu lia, percebi algo crucial sobre este livro. Sim, é verdade que você pode não precisar de todas as receitas que Sifton propõe. Você já pode ser dedicado à geleia de cranberry da sua tia, ao recheio do seu sogro ou ao inhame caramelado da sua avó (embora eu não possa esperar para experimentar Couves de Bruxelas refogadas Sifton & # 39s com migalhas de pão com manteiga e torta de noz-pecã, para não mencionar seu peru Gumbo no dia seguinte). Mas o negócio muito maior é este: reunir todos os elementos de uma festa de Ação de Graças, não apenas comida, mas tudo, desde o trabalho de preparação até as bebidas servidas e os arranjos dos assentos, é um empreendimento assustador. Eu ousaria dizer que só o pensamento já assustou muitas supostas anfitriãs ou anfitriãs da ideia. Mas Sifton se propôs a fazer você se sentir corajoso e capaz. Com este livro, ele segura sua mão e o incentiva em todo o caminho. É uma cozinha totalmente essencial.

Infelizmente, não estarei preparando uma refeição de Ação de Graças este ano - estaremos em Kassel em uma cozinha muito pequena - mas estes são meus itens indispensáveis ​​para o Dia de Ação de Graças, caso seu menu ainda precise ser aprimorado:

Comentários

Algumas semanas atrás, cheguei em casa com um pacote de papelão esperando pelo correio. Dentro estava o livro fino de Sam Sifton # 39 intitulado simplesmente: Ação de graças, e então, mais abaixo na jaqueta, Como cozinhar bem. Nós vamos, Pensei, deslizando o livro sobre a mesa de centro, quem precisa de um todo livro nesse assunto?

Porém, mais tarde naquela noite, abri o livro e comecei a ler. Afinal, tinha apenas 125 páginas e eu sou um fã da escrita de Sifton há muito tempo. Quando, no final da introdução, comecei a rir alto enquanto lia - um livro sobre como preparar Jantar de ação de graças, pessoas - eu sei que ele estava no caminho certo.

O manifesto de Sifton é um deleite total. É mandão, engraçado e infinitamente útil. Eu diria que ele merece um lugar em cada registro de casamento ou lista de presentes de inauguração. Cobre tudo: o peru, sim, os acompanhamentos e a sobremesa. Mas também informa o que fazer com o caldo de peru e como usar os restos de comida. Diz a você o que não comer no Dia de Ação de Graças (salada! Alho! Chocolate!) E como evitar um desastre se você decidir fritar seu peru (almas mais corajosas do que eu). Tem REGRAS e IDÉIAS sobre coisas tão variadas quanto a música que você ouvirá quando começar a cozinhar e quão baratos podem ser os utensílios de cozinha que você usa. É, às vezes, calmante e severo, engraçado e muito focado. eu não tenho curtiu eu mesma tanto lendo um livro sobre comida há muito tempo.

E enquanto eu lia, percebi algo crucial sobre este livro. Sim, é verdade que você pode não precisar de todas as receitas que Sifton propõe. Você já pode ser dedicado à geleia de cranberry da sua tia, ao recheio do seu sogro ou ao inhame caramelado da sua avó (embora eu não possa esperar para experimentar Couves de Bruxelas refogadas Sifton & # 39s com migalhas de pão com manteiga e torta de noz-pecã, para não mencionar seu peru Gumbo no dia seguinte). Mas o negócio muito maior é este: reunir todos os elementos de uma festa de Ação de Graças, não apenas comida, mas tudo, desde o trabalho de preparação até as bebidas servidas e os arranjos dos assentos, é um empreendimento assustador. Eu ousaria dizer que só o pensamento já assustou muitas supostas anfitriãs ou anfitriãs da ideia. Mas Sifton se propôs a fazer você se sentir corajoso e capaz. Com este livro, ele segura sua mão e o incentiva em todo o caminho. É uma cozinha totalmente essencial.

Infelizmente, não estarei preparando uma refeição de Ação de Graças este ano - estaremos em Kassel em uma cozinha muito pequena - mas estes são meus itens indispensáveis ​​para o Dia de Ação de Graças, caso seu menu ainda precise ser aprimorado:


Sam Sifton lança o livro de receitas do Dia de Ação de Graças - Receitas

Algumas semanas atrás, cheguei em casa com um pacote de papelão esperando pelo correio. Dentro estava o livro fino de Sam Sifton # 39 intitulado simplesmente: Ação de graças, e então, mais abaixo na jaqueta, Como cozinhar bem. Nós vamos, Pensei, deslizando o livro sobre a mesa de centro, quem precisa de um todo livro nesse assunto?

Porém, mais tarde naquela noite, abri o livro e comecei a ler. Afinal, tinha apenas 125 páginas e eu sou um fã da escrita de Sifton há muito tempo. Quando, no final da introdução, comecei a rir alto enquanto lia - um livro sobre como preparar Jantar de ação de graças, pessoas - eu sei que ele estava no caminho certo.

O manifesto de Sifton é um deleite total. É mandão, engraçado e infinitamente útil. Eu diria que ele merece um lugar em cada registro de casamento ou lista de presentes de inauguração. Cobre tudo: o peru, sim, os acompanhamentos e a sobremesa. Mas também informa o que fazer com o caldo de peru e como usar os restos de comida. Diz a você o que não comer no Dia de Ação de Graças (salada! Alho! Chocolate!) E como evitar um desastre se você decidir fritar seu peru (almas mais corajosas do que eu). Ele contém REGRAS e IDEIAS sobre coisas tão variadas quanto a música que você ouvirá quando começar a cozinhar e quão baratos podem ser os utensílios de cozinha que você usa. É, às vezes, calmante e severo, engraçado e muito focado. eu não tenho curtiu eu mesma tanto lendo um livro sobre comida há muito tempo.

E enquanto eu lia, percebi algo crucial sobre este livro. Sim, é verdade que você pode não precisar de todas as receitas que Sifton propõe. Você já pode ser dedicado à geléia de cranberry de sua tia, ao recheio de seu sogro ou aos inhames caramelados de sua avó (embora eu não possa esperar para experimentar couve de bruxelas refogada Sifton & # 39s com migalhas de pão com manteiga e torta de noz-pecã, para não mencionar seu peru Gumbo no dia seguinte). Mas o negócio muito maior é este: reunir todos os elementos de uma festa de Ação de Graças, não apenas comida, mas tudo, desde o trabalho de preparação até as bebidas servidas e os arranjos dos assentos, é um empreendimento assustador. Eu ousaria dizer que apenas o pensamento já assustou muito uma suposta anfitriã ou anfitriã da ideia. Mas Sifton se propôs a fazer você se sentir corajoso e capaz. Com este livro, ele segura sua mão e o incentiva em todo o caminho. É uma cozinha totalmente essencial.

Infelizmente, não estarei preparando uma refeição de Ação de Graças este ano - estaremos em Kassel em uma cozinha muito pequena - mas estes são meus itens indispensáveis ​​para o Dia de Ação de Graças, caso seu menu ainda precise ser aprimorado:

Comentários

Algumas semanas atrás, cheguei em casa com um pacote de papelão esperando pelo correio. Dentro estava o livro fino de Sam Sifton # 39 intitulado simplesmente: Ação de graças, e então, mais abaixo na jaqueta, Como cozinhar bem. Nós vamos, Pensei, deslizando o livro sobre a mesa de centro, quem precisa de um todo livro nesse assunto?

Porém, mais tarde naquela noite, abri o livro e comecei a ler. Afinal, tinha apenas 125 páginas e eu sou um fã da escrita de Sifton há muito tempo. Quando, no final da introdução, comecei a rir alto enquanto lia - um livro sobre como preparar Jantar de ação de graças, pessoas - eu sei que ele estava no caminho certo.

O manifesto de Sifton é um deleite total. É mandão, engraçado e infinitamente útil. Eu diria que ele merece um lugar em cada registro de casamento ou lista de presentes de inauguração. Cobre tudo: o peru, sim, os acompanhamentos e a sobremesa. Mas também informa o que fazer com o caldo de peru e como usar os restos de comida. Diz a você o que não comer no Dia de Ação de Graças (salada! Alho! Chocolate!) E como evitar um desastre se você decidir fritar seu peru (almas mais corajosas do que eu). Ele contém REGRAS e IDEIAS sobre coisas tão variadas quanto a música que você ouvirá quando começar a cozinhar e quão baratos podem ser os utensílios de cozinha que você usa. É, às vezes, calmante e severo, engraçado e muito focado. eu não tenho curtiu eu mesmo tanto lendo um livro sobre comida há muito tempo.

E enquanto eu lia, percebi algo crucial sobre este livro. Sim, é verdade que você pode não precisar de todas as receitas que Sifton propõe. Você já pode ser dedicado à geléia de cranberry de sua tia, ao recheio de seu sogro ou aos inhames caramelados de sua avó (embora eu não possa esperar para experimentar couve de bruxelas refogada Sifton & # 39s com migalhas de pão com manteiga e torta de noz-pecã, para não mencionar seu peru Gumbo no dia seguinte). Mas o negócio muito maior é este: reunir todos os elementos de uma festa de Ação de Graças, não apenas comida, mas tudo, desde o trabalho de preparação até as bebidas servidas e os arranjos dos assentos, é um empreendimento desanimador. Eu ousaria dizer que só o pensamento já assustou muitas supostas anfitriãs ou anfitriãs da ideia. Mas Sifton se propôs a fazer você se sentir corajoso e capaz. Com este livro, ele segura sua mão e o incentiva em todo o caminho. É uma cozinha totalmente essencial.

Infelizmente, não estarei preparando uma refeição de Ação de Graças este ano - estaremos em Kassel em uma cozinha muito pequena - mas estes são meus itens indispensáveis ​​para o Dia de Ação de Graças, caso seu menu ainda precise ser aprimorado:


Sam Sifton lança o livro de receitas do Dia de Ação de Graças - Receitas

Algumas semanas atrás, cheguei em casa com um pacote de papelão esperando pelo correio. Dentro estava o livro fino de Sam Sifton # 39 intitulado simplesmente: Ação de graças, e então, mais abaixo na jaqueta, Como cozinhar bem. Nós vamos, Pensei, deslizando o livro sobre a mesa de centro, quem precisa de um todo livro nesse assunto?

Porém, mais tarde naquela noite, abri o livro e comecei a ler. Afinal, tinha apenas 125 páginas e eu sou um fã da escrita de Sifton há muito tempo. Quando, no final da introdução, comecei a rir alto enquanto lia - um livro sobre como preparar Jantar de ação de graças, pessoas - eu sei que ele estava no caminho certo.

O manifesto de Sifton é um deleite total. É mandão, engraçado e infinitamente útil. Eu diria que ele merece um lugar em cada registro de casamento ou lista de presentes de inauguração. Cobre tudo: o peru, sim, os acompanhamentos e a sobremesa. Mas também informa o que fazer com o caldo de peru e como usar os restos de comida. Diz a você o que não comer no Dia de Ação de Graças (salada! Alho! Chocolate!) E como evitar um desastre se você decidir fritar seu peru (almas mais corajosas do que eu). Tem REGRAS e IDÉIAS sobre coisas tão variadas quanto a música que você ouvirá quando começar a cozinhar e quão baratos podem ser os utensílios de cozinha que você usa. É, às vezes, calmante e severo, engraçado e muito focado. eu não tenho curtiu eu mesmo tanto lendo um livro sobre comida há muito tempo.

E enquanto eu lia, percebi algo crucial sobre este livro. Sim, é verdade que você pode não precisar de todas as receitas que Sifton propõe. Você já pode ser dedicado à geléia de cranberry de sua tia, ao recheio de seu sogro ou aos inhames caramelados de sua avó (embora eu não possa esperar para experimentar couve de bruxelas refogada Sifton & # 39s com migalhas de pão com manteiga e torta de noz-pecã, para não mencionar seu peru Gumbo no dia seguinte). Mas o negócio muito maior é este: reunir todos os elementos de uma festa de Ação de Graças, não apenas comida, mas tudo, desde o trabalho de preparação até as bebidas servidas e os arranjos dos assentos, é um empreendimento assustador. Eu ousaria dizer que apenas o pensamento já assustou muito uma suposta anfitriã ou anfitriã da ideia. Mas Sifton se propôs a fazer você se sentir corajoso e capaz. Com este livro, ele segura sua mão e o incentiva em todo o caminho. É uma cozinha totalmente essencial.

Infelizmente, não estarei preparando uma refeição de Ação de Graças este ano - estaremos em Kassel em uma cozinha muito pequena - mas estes são meus itens indispensáveis ​​para o Dia de Ação de Graças, caso seu menu ainda precise ser aprimorado:

Comentários

Algumas semanas atrás, cheguei em casa com um pacote de papelão esperando pelo correio. Dentro estava o livro fino de Sam Sifton # 39 intitulado simplesmente: Ação de graças, e então, mais abaixo na jaqueta, Como cozinhar bem. Nós vamos, Pensei, deslizando o livro sobre a mesa de centro, quem precisa de um todo livro nesse assunto?

Porém, mais tarde naquela noite, abri o livro e comecei a ler. Afinal, tinha apenas 125 páginas e há muito tempo sou um fã da escrita de Sifton. Quando, no final da introdução, comecei a rir alto enquanto lia - um livro sobre como preparar Jantar de ação de graças, pessoas - eu sei que ele estava no caminho certo.

O manifesto de Sifton é um deleite total. É mandão, engraçado e infinitamente útil. Eu diria que ele merece um lugar em cada registro de casamento ou lista de presentes de inauguração. Cobre tudo: o peru, sim, os acompanhamentos e a sobremesa. Mas também informa o que fazer com o caldo de peru e como usar os restos de comida. Diz a você o que não comer no Dia de Ação de Graças (salada! Alho! Chocolate!) E como evitar um desastre se você decidir fritar seu peru (almas mais corajosas do que eu). Ele contém REGRAS e IDEIAS sobre coisas tão variadas quanto a música que você ouvirá quando começar a cozinhar e quão baratos podem ser os utensílios de cozinha que você usa. É, às vezes, calmante e severo, engraçado e muito focado. eu não tenho curtiu eu mesmo tanto lendo um livro sobre comida há muito tempo.

E enquanto eu lia, percebi algo crucial sobre este livro. Sim, é verdade que você pode não precisar de todas as receitas que Sifton propõe. Você já pode ser dedicado à geléia de cranberry de sua tia, ao recheio de seu sogro ou aos inhames caramelados de sua avó (embora eu não possa esperar para experimentar couve de bruxelas refogada Sifton & # 39s com migalhas de pão com manteiga e torta de noz-pecã, para não mencionar seu peru Gumbo no dia seguinte). Mas o negócio muito maior é este: reunir todos os elementos de uma festa de Ação de Graças, não apenas comida, mas tudo, desde o trabalho de preparação até as bebidas servidas e os arranjos dos assentos, é um empreendimento desanimador. Eu ousaria dizer que apenas o pensamento já assustou muito uma suposta anfitriã ou anfitriã da ideia. Mas Sifton se propôs a fazer você se sentir corajoso e capaz. Com este livro, ele segura sua mão e o incentiva em todo o caminho. É uma cozinha totalmente essencial.

Infelizmente, não estarei preparando uma refeição de Ação de Graças este ano - estaremos em Kassel em uma cozinha muito pequena - mas estes são meus itens indispensáveis ​​para o Dia de Ação de Graças, caso seu menu ainda precise ser aprimorado:


Sam Sifton lançando o livro de receitas do Dia de Ação de Graças - Receitas

Algumas semanas atrás, cheguei em casa com um pacote de papelão esperando pelo correio. Dentro estava o livro fino de Sam Sifton # 39 intitulado simplesmente: Ação de graças, e então, mais abaixo na jaqueta, Como cozinhar bem. Nós vamos, Pensei, deslizando o livro sobre a mesa de centro, quem precisa de um todo livro nesse assunto?

Mas mais tarde naquela noite, abri o livro e comecei a ler. Afinal, tinha apenas 125 páginas e eu sou um fã da escrita de Sifton há muito tempo. Quando, no final da introdução, comecei a rir alto enquanto lia - um livro sobre como preparar Jantar de ação de graças, pessoas - eu sei que ele estava no caminho certo.

O manifesto de Sifton é um deleite total. É mandão, engraçado e infinitamente útil. Eu diria que ele merece um lugar em cada registro de casamento ou lista de presentes de inauguração. Cobre tudo: o peru, sim, os acompanhamentos e a sobremesa. Mas também informa o que fazer com o caldo de peru e como usar os restos de comida. Diz a você o que não comer no Dia de Ação de Graças (salada! Alho! Chocolate!) E como evitar um desastre se você decidir fritar seu peru (almas mais corajosas do que eu). Ele contém REGRAS e IDEIAS sobre coisas tão variadas quanto a música que você ouvirá quando começar a cozinhar e quão baratos podem ser os utensílios de cozinha que você usa. É, às vezes, calmante e severo, engraçado e muito focado. eu não tenho curtiu eu mesmo tanto lendo um livro sobre comida há muito tempo.

E enquanto eu lia, percebi algo crucial sobre este livro. Sim, é verdade que você pode não precisar de todas as receitas que Sifton propõe. Você já pode ser dedicado à geléia de cranberry de sua tia, ao recheio de seu sogro ou aos inhames caramelados de sua avó (embora eu não possa esperar para experimentar couve de bruxelas refogada Sifton & # 39s com migalhas de pão com manteiga e torta de noz-pecã, para não mencionar seu peru Gumbo no dia seguinte). Mas o negócio muito maior é este: reunir todos os elementos de uma festa de Ação de Graças, não apenas comida, mas tudo, desde o trabalho de preparação até as bebidas servidas e os arranjos dos assentos, é um empreendimento desanimador. Eu ousaria dizer que apenas o pensamento já assustou muito uma suposta anfitriã ou anfitriã da ideia. Mas Sifton se propôs a fazer você se sentir corajoso e capaz. Com este livro, ele segura sua mão e o incentiva em todo o caminho. É uma cozinha totalmente essencial.

Infelizmente, não estarei preparando uma refeição de Ação de Graças este ano - estaremos em Kassel em uma cozinha muito pequena - mas estes são meus itens indispensáveis ​​para o Dia de Ação de Graças, caso seu menu ainda precise ser aprimorado:

Comentários

Algumas semanas atrás, cheguei em casa com um pacote de papelão esperando pelo correio. Dentro estava o livro fino de Sam Sifton # 39 intitulado simplesmente: Ação de graças, e então, mais abaixo na jaqueta, Como cozinhar bem. Nós vamos, Pensei, deslizando o livro sobre a mesa de centro, quem precisa de um todo livro nesse assunto?

Porém, mais tarde naquela noite, abri o livro e comecei a ler. Afinal, tinha apenas 125 páginas e eu sou um fã da escrita de Sifton há muito tempo. Quando, no final da introdução, comecei a rir alto enquanto lia - um livro sobre como preparar Jantar de ação de graças, pessoas - eu sei que ele estava no caminho certo.

O manifesto de Sifton é um deleite total. É mandão, engraçado e infinitamente útil. Eu diria que ele merece um lugar em cada registro de casamento ou lista de presentes de inauguração. Cobre tudo: o peru, sim, os acompanhamentos e a sobremesa. Mas também informa o que fazer com o caldo de peru e como usar os restos de comida. Diz a você o que não comer no Dia de Ação de Graças (salada! Alho! Chocolate!) E como evitar um desastre se você decidir fritar seu peru (almas mais corajosas do que eu). Ele contém REGRAS e IDEIAS sobre coisas tão variadas quanto a música que você ouvirá quando começar a cozinhar e quão baratos podem ser os utensílios de cozinha que você usa. É, às vezes, calmante e severo, engraçado e muito focado. eu não tenho curtiu eu mesma tanto lendo um livro sobre comida há muito tempo.

E enquanto eu lia, percebi algo crucial sobre este livro. Sim, é verdade que você pode não precisar de todas as receitas que Sifton propõe. Você já pode ser dedicado à geléia de cranberry de sua tia, ao recheio de seu sogro ou aos inhames caramelados de sua avó (embora eu não possa esperar para experimentar couve de bruxelas refogada Sifton & # 39s com migalhas de pão com manteiga e torta de noz-pecã, para não mencionar seu peru Gumbo no dia seguinte). Mas o negócio muito maior é este: reunir todos os elementos de uma festa de Ação de Graças, não apenas comida, mas tudo, desde o trabalho de preparação até as bebidas servidas e os arranjos dos assentos, é um empreendimento assustador. Eu ousaria dizer que apenas o pensamento já assustou muitas supostas anfitriãs ou anfitriãs completamente fora da ideia. Mas Sifton se propôs a fazer você se sentir corajoso e capaz. Com este livro, ele segura sua mão e o incentiva em todo o caminho. É uma cozinha totalmente essencial.

Infelizmente, não estarei preparando uma refeição de Ação de Graças este ano - estaremos em Kassel em uma cozinha muito pequena - mas estes são meus itens indispensáveis ​​para o Dia de Ação de Graças, caso seu menu ainda precise ser aprimorado:


Sam Sifton lançando o livro de receitas do Dia de Ação de Graças - Receitas

Algumas semanas atrás, cheguei em casa com um pacote de papelão esperando pelo correio. Dentro estava o livro fino de Sam Sifton # 39 intitulado simplesmente: Ação de graças, e então, mais abaixo na jaqueta, Como cozinhar bem. Nós vamos, Pensei, deslizando o livro sobre a mesa de centro, quem precisa de um todo livro nesse assunto?

Porém, mais tarde naquela noite, abri o livro e comecei a ler. Afinal, tinha apenas 125 páginas e eu sou um fã da escrita de Sifton há muito tempo. Quando, no final da introdução, comecei a rir alto enquanto lia - um livro sobre como preparar Jantar de ação de graças, pessoas - eu sei que ele estava no caminho certo.

O manifesto de Sifton é um deleite total. É mandão, engraçado e infinitamente útil. Eu diria que ele merece um lugar em cada registro de casamento ou lista de presentes de inauguração. Cobre tudo: o peru, sim, os acompanhamentos e a sobremesa. Mas também informa o que fazer com o caldo de peru e como usar os restos de comida. Diz a você o que não comer no Dia de Ação de Graças (salada! Alho! Chocolate!) E como evitar um desastre se você decidir fritar seu peru (almas mais corajosas do que eu). Tem REGRAS e IDÉIAS sobre coisas tão variadas quanto a música que você ouvirá quando começar a cozinhar e quão baratos podem ser os utensílios de cozinha que você usa. É, às vezes, calmante e severo, engraçado e muito focado. eu não tenho curtiu eu mesma tanto lendo um livro sobre comida há muito tempo.

E enquanto eu lia, percebi algo crucial sobre este livro. Sim, é verdade que você pode não precisar de todas as receitas que Sifton propõe. Você já pode ser dedicado à geléia de cranberry de sua tia, ao recheio de seu sogro ou aos inhames caramelados de sua avó (embora eu não possa esperar para experimentar couve de bruxelas refogada Sifton & # 39s com migalhas de pão com manteiga e torta de noz-pecã, para não mencionar seu peru Gumbo no dia seguinte). Mas o negócio muito maior é este: reunir todos os elementos de uma festa de Ação de Graças, não apenas comida, mas tudo, desde o trabalho de preparação até as bebidas servidas e os arranjos dos assentos, é um empreendimento assustador. Eu ousaria dizer que só o pensamento já assustou muitas supostas anfitriãs ou anfitriãs da ideia. Mas Sifton se propôs a fazer você se sentir corajoso e capaz. Com este livro, ele segura sua mão e o incentiva em todo o caminho. É uma cozinha totalmente essencial.

Infelizmente, não estarei preparando uma refeição de Ação de Graças este ano - estaremos em Kassel em uma cozinha muito pequena - mas estes são meus itens indispensáveis ​​para o Dia de Ação de Graças, caso seu menu ainda precise ser aprimorado:

Comentários

Algumas semanas atrás, cheguei em casa com um pacote de papelão esperando pelo correio. Dentro estava o livro fino de Sam Sifton # 39 intitulado simplesmente: Ação de graças, e então, mais abaixo na jaqueta, Como cozinhar bem. Nós vamos, Pensei, deslizando o livro sobre a mesa de centro, quem precisa de um todo livro nesse assunto?

Porém, mais tarde naquela noite, abri o livro e comecei a ler. Afinal, tinha apenas 125 páginas e eu sou um fã da escrita de Sifton há muito tempo. Quando, no final da introdução, comecei a rir alto enquanto lia - um livro sobre como preparar Jantar de ação de graças, pessoas - eu sei que ele estava no caminho certo.

O manifesto de Sifton é um deleite total. É mandão, engraçado e infinitamente útil. Eu diria que ele merece um lugar em cada registro de casamento ou lista de presentes de inauguração. Cobre tudo: o peru, sim, os acompanhamentos e a sobremesa. Mas também informa o que fazer com o caldo de peru e como usar os restos de comida. Diz a você o que não comer no Dia de Ação de Graças (salada! Alho! Chocolate!) E como evitar um desastre se você decidir fritar seu peru (almas mais corajosas do que eu). Ele contém REGRAS e IDEIAS sobre coisas tão variadas quanto a música que você ouvirá quando começar a cozinhar e quão baratos podem ser os utensílios de cozinha que você usa. É, às vezes, calmante e severo, engraçado e muito focado. eu não tenho curtiu eu mesma tanto lendo um livro sobre comida há muito tempo.

E enquanto eu lia, percebi algo crucial sobre este livro. Sim, é verdade que você pode não precisar de todas as receitas que Sifton propõe. Você já pode ser dedicado à geléia de cranberry de sua tia, ao recheio de seu sogro ou aos inhames caramelados de sua avó (embora eu não possa esperar para experimentar couve de bruxelas refogada Sifton & # 39s com migalhas de pão com manteiga e torta de noz-pecã, para não mencionar seu peru Gumbo no dia seguinte). Mas o negócio muito maior é este: reunir todos os elementos de uma festa de Ação de Graças, não apenas comida, mas tudo, desde o trabalho de preparação até as bebidas servidas e os arranjos dos assentos, é um empreendimento desanimador. Eu ousaria dizer que só o pensamento já assustou muitas supostas anfitriãs ou anfitriãs da ideia. Mas Sifton se propôs a fazer você se sentir corajoso e capaz. Com este livro, ele segura sua mão e o incentiva em todo o caminho. É uma cozinha totalmente essencial.

I sadly won't be cooking a Thanksgiving meal this year - we'll be in Kassel in a too-small kitchen - but these are my perennial Thanksgiving must-haves, in case your menu still needs fleshing out:


Sam Sifton Releasing Thanksgiving Cookbook - Recipes

A few weeks ago, I came home to a cardboard package waiting in the mail. Inside was Sam Sifton's slim book titled simply: Ação de graças, and then, further down on the jacket, How to Cook it Well. Well, I thought, sliding the book onto the coffee table, who needs a whole livro on this subject?

But later that evening, I opened the book and started to read. After all, it was just 125 pages long and I'd long been a fan of Sifton's writing. When, by the end of the intro, I had started to laugh out loud as I read - a book about how to prepare Thanksgiving dinner, people - I know he was onto something.

Sifton's manifesto is a total delight. It's bossy and funny and endlessly useful. I'd say it deserves a spot on every wedding registry or housewarming gift list. It covers everything: the turkey, yes, and the sides and dessert. But it also tells you what to do with turkey stock and how to use up the leftover food. It tells you what not to eat on Thanksgiving (salad! garlic! chocolate!) and how to avoid disaster if you decide to deep-fry your turkey (braver souls than I). It has RULES and IDEAS about things as varied as the music you'll be listening to when you start to cook to just how cheap the cookware you use can be. It is, at turns, soothing and stern, funny and very focused. I have not enjoyed myself as much reading a book on food in a very long time.

And as I read, I realized something crucial about this book. Yes, it's true that you might not need all the recipes Sifton proposes. You may already be devoted to your aunt's cranberry jelly, your father-in-law's stuffing or your grandmother's candied yams (although I cannot wait to try Sifton's Braised Brussels Sprouts with Buttered Bread Crumbs and Pecan Pie, not to mention his Turkey Gumbo the next day). But the far larger deal is this: bringing all the elements of a Thanksgiving feast together, not just food, but tudo, from the prep work to the drinks you serve to the seating arrangements, is a daunting endeavor. I would dare say just the thought of it has scared plenty a would-be hostess or host off the idea altogether. But Sifton has set out to make you feel brave and capable. With this book, he holds your hand and cheers you on all the way. It's a total kitchen essential.

I sadly won't be cooking a Thanksgiving meal this year - we'll be in Kassel in a too-small kitchen - but these are my perennial Thanksgiving must-haves, in case your menu still needs fleshing out:

Comentários

A few weeks ago, I came home to a cardboard package waiting in the mail. Inside was Sam Sifton's slim book titled simply: Ação de graças, and then, further down on the jacket, How to Cook it Well. Well, I thought, sliding the book onto the coffee table, who needs a whole livro on this subject?

But later that evening, I opened the book and started to read. After all, it was just 125 pages long and I'd long been a fan of Sifton's writing. When, by the end of the intro, I had started to laugh out loud as I read - a book about how to prepare Thanksgiving dinner, people - I know he was onto something.

Sifton's manifesto is a total delight. It's bossy and funny and endlessly useful. I'd say it deserves a spot on every wedding registry or housewarming gift list. It covers everything: the turkey, yes, and the sides and dessert. But it also tells you what to do with turkey stock and how to use up the leftover food. It tells you what not to eat on Thanksgiving (salad! garlic! chocolate!) and how to avoid disaster if you decide to deep-fry your turkey (braver souls than I). It has RULES and IDEAS about things as varied as the music you'll be listening to when you start to cook to just how cheap the cookware you use can be. It is, at turns, soothing and stern, funny and very focused. I have not enjoyed myself as much reading a book on food in a very long time.

And as I read, I realized something crucial about this book. Yes, it's true that you might not need all the recipes Sifton proposes. You may already be devoted to your aunt's cranberry jelly, your father-in-law's stuffing or your grandmother's candied yams (although I cannot wait to try Sifton's Braised Brussels Sprouts with Buttered Bread Crumbs and Pecan Pie, not to mention his Turkey Gumbo the next day). But the far larger deal is this: bringing all the elements of a Thanksgiving feast together, not just food, but tudo, from the prep work to the drinks you serve to the seating arrangements, is a daunting endeavor. I would dare say just the thought of it has scared plenty a would-be hostess or host off the idea altogether. But Sifton has set out to make you feel brave and capable. With this book, he holds your hand and cheers you on all the way. It's a total kitchen essential.

I sadly won't be cooking a Thanksgiving meal this year - we'll be in Kassel in a too-small kitchen - but these are my perennial Thanksgiving must-haves, in case your menu still needs fleshing out:


Sam Sifton Releasing Thanksgiving Cookbook - Recipes

A few weeks ago, I came home to a cardboard package waiting in the mail. Inside was Sam Sifton's slim book titled simply: Ação de graças, and then, further down on the jacket, How to Cook it Well. Well, I thought, sliding the book onto the coffee table, who needs a whole livro on this subject?

But later that evening, I opened the book and started to read. After all, it was just 125 pages long and I'd long been a fan of Sifton's writing. When, by the end of the intro, I had started to laugh out loud as I read - a book about how to prepare Thanksgiving dinner, people - I know he was onto something.

Sifton's manifesto is a total delight. It's bossy and funny and endlessly useful. I'd say it deserves a spot on every wedding registry or housewarming gift list. It covers everything: the turkey, yes, and the sides and dessert. But it also tells you what to do with turkey stock and how to use up the leftover food. It tells you what not to eat on Thanksgiving (salad! garlic! chocolate!) and how to avoid disaster if you decide to deep-fry your turkey (braver souls than I). It has RULES and IDEAS about things as varied as the music you'll be listening to when you start to cook to just how cheap the cookware you use can be. It is, at turns, soothing and stern, funny and very focused. I have not enjoyed myself as much reading a book on food in a very long time.

And as I read, I realized something crucial about this book. Yes, it's true that you might not need all the recipes Sifton proposes. You may already be devoted to your aunt's cranberry jelly, your father-in-law's stuffing or your grandmother's candied yams (although I cannot wait to try Sifton's Braised Brussels Sprouts with Buttered Bread Crumbs and Pecan Pie, not to mention his Turkey Gumbo the next day). But the far larger deal is this: bringing all the elements of a Thanksgiving feast together, not just food, but tudo, from the prep work to the drinks you serve to the seating arrangements, is a daunting endeavor. I would dare say just the thought of it has scared plenty a would-be hostess or host off the idea altogether. But Sifton has set out to make you feel brave and capable. With this book, he holds your hand and cheers you on all the way. It's a total kitchen essential.

I sadly won't be cooking a Thanksgiving meal this year - we'll be in Kassel in a too-small kitchen - but these are my perennial Thanksgiving must-haves, in case your menu still needs fleshing out:

Comentários

A few weeks ago, I came home to a cardboard package waiting in the mail. Inside was Sam Sifton's slim book titled simply: Ação de graças, and then, further down on the jacket, How to Cook it Well. Well, I thought, sliding the book onto the coffee table, who needs a whole livro on this subject?

But later that evening, I opened the book and started to read. After all, it was just 125 pages long and I'd long been a fan of Sifton's writing. When, by the end of the intro, I had started to laugh out loud as I read - a book about how to prepare Thanksgiving dinner, people - I know he was onto something.

Sifton's manifesto is a total delight. It's bossy and funny and endlessly useful. I'd say it deserves a spot on every wedding registry or housewarming gift list. It covers everything: the turkey, yes, and the sides and dessert. But it also tells you what to do with turkey stock and how to use up the leftover food. It tells you what not to eat on Thanksgiving (salad! garlic! chocolate!) and how to avoid disaster if you decide to deep-fry your turkey (braver souls than I). It has RULES and IDEAS about things as varied as the music you'll be listening to when you start to cook to just how cheap the cookware you use can be. It is, at turns, soothing and stern, funny and very focused. I have not enjoyed myself as much reading a book on food in a very long time.

And as I read, I realized something crucial about this book. Yes, it's true that you might not need all the recipes Sifton proposes. You may already be devoted to your aunt's cranberry jelly, your father-in-law's stuffing or your grandmother's candied yams (although I cannot wait to try Sifton's Braised Brussels Sprouts with Buttered Bread Crumbs and Pecan Pie, not to mention his Turkey Gumbo the next day). But the far larger deal is this: bringing all the elements of a Thanksgiving feast together, not just food, but tudo, from the prep work to the drinks you serve to the seating arrangements, is a daunting endeavor. I would dare say just the thought of it has scared plenty a would-be hostess or host off the idea altogether. But Sifton has set out to make you feel brave and capable. With this book, he holds your hand and cheers you on all the way. It's a total kitchen essential.

I sadly won't be cooking a Thanksgiving meal this year - we'll be in Kassel in a too-small kitchen - but these are my perennial Thanksgiving must-haves, in case your menu still needs fleshing out:


Sam Sifton Releasing Thanksgiving Cookbook - Recipes

A few weeks ago, I came home to a cardboard package waiting in the mail. Inside was Sam Sifton's slim book titled simply: Ação de graças, and then, further down on the jacket, How to Cook it Well. Well, I thought, sliding the book onto the coffee table, who needs a whole livro on this subject?

But later that evening, I opened the book and started to read. After all, it was just 125 pages long and I'd long been a fan of Sifton's writing. When, by the end of the intro, I had started to laugh out loud as I read - a book about how to prepare Thanksgiving dinner, people - I know he was onto something.

Sifton's manifesto is a total delight. It's bossy and funny and endlessly useful. I'd say it deserves a spot on every wedding registry or housewarming gift list. It covers everything: the turkey, yes, and the sides and dessert. But it also tells you what to do with turkey stock and how to use up the leftover food. It tells you what not to eat on Thanksgiving (salad! garlic! chocolate!) and how to avoid disaster if you decide to deep-fry your turkey (braver souls than I). It has RULES and IDEAS about things as varied as the music you'll be listening to when you start to cook to just how cheap the cookware you use can be. It is, at turns, soothing and stern, funny and very focused. I have not enjoyed myself as much reading a book on food in a very long time.

And as I read, I realized something crucial about this book. Yes, it's true that you might not need all the recipes Sifton proposes. You may already be devoted to your aunt's cranberry jelly, your father-in-law's stuffing or your grandmother's candied yams (although I cannot wait to try Sifton's Braised Brussels Sprouts with Buttered Bread Crumbs and Pecan Pie, not to mention his Turkey Gumbo the next day). But the far larger deal is this: bringing all the elements of a Thanksgiving feast together, not just food, but tudo, from the prep work to the drinks you serve to the seating arrangements, is a daunting endeavor. I would dare say just the thought of it has scared plenty a would-be hostess or host off the idea altogether. But Sifton has set out to make you feel brave and capable. With this book, he holds your hand and cheers you on all the way. It's a total kitchen essential.

I sadly won't be cooking a Thanksgiving meal this year - we'll be in Kassel in a too-small kitchen - but these are my perennial Thanksgiving must-haves, in case your menu still needs fleshing out:

Comentários

A few weeks ago, I came home to a cardboard package waiting in the mail. Inside was Sam Sifton's slim book titled simply: Ação de graças, and then, further down on the jacket, How to Cook it Well. Well, I thought, sliding the book onto the coffee table, who needs a whole livro on this subject?

But later that evening, I opened the book and started to read. After all, it was just 125 pages long and I'd long been a fan of Sifton's writing. When, by the end of the intro, I had started to laugh out loud as I read - a book about how to prepare Thanksgiving dinner, people - I know he was onto something.

Sifton's manifesto is a total delight. It's bossy and funny and endlessly useful. I'd say it deserves a spot on every wedding registry or housewarming gift list. It covers everything: the turkey, yes, and the sides and dessert. But it also tells you what to do with turkey stock and how to use up the leftover food. It tells you what not to eat on Thanksgiving (salad! garlic! chocolate!) and how to avoid disaster if you decide to deep-fry your turkey (braver souls than I). It has RULES and IDEAS about things as varied as the music you'll be listening to when you start to cook to just how cheap the cookware you use can be. It is, at turns, soothing and stern, funny and very focused. I have not enjoyed myself as much reading a book on food in a very long time.

And as I read, I realized something crucial about this book. Yes, it's true that you might not need all the recipes Sifton proposes. You may already be devoted to your aunt's cranberry jelly, your father-in-law's stuffing or your grandmother's candied yams (although I cannot wait to try Sifton's Braised Brussels Sprouts with Buttered Bread Crumbs and Pecan Pie, not to mention his Turkey Gumbo the next day). But the far larger deal is this: bringing all the elements of a Thanksgiving feast together, not just food, but tudo, from the prep work to the drinks you serve to the seating arrangements, is a daunting endeavor. I would dare say just the thought of it has scared plenty a would-be hostess or host off the idea altogether. But Sifton has set out to make you feel brave and capable. With this book, he holds your hand and cheers you on all the way. It's a total kitchen essential.

I sadly won't be cooking a Thanksgiving meal this year - we'll be in Kassel in a too-small kitchen - but these are my perennial Thanksgiving must-haves, in case your menu still needs fleshing out:


Sam Sifton Releasing Thanksgiving Cookbook - Recipes

A few weeks ago, I came home to a cardboard package waiting in the mail. Inside was Sam Sifton's slim book titled simply: Ação de graças, and then, further down on the jacket, How to Cook it Well. Well, I thought, sliding the book onto the coffee table, who needs a whole livro on this subject?

But later that evening, I opened the book and started to read. After all, it was just 125 pages long and I'd long been a fan of Sifton's writing. When, by the end of the intro, I had started to laugh out loud as I read - a book about how to prepare Thanksgiving dinner, people - I know he was onto something.

Sifton's manifesto is a total delight. It's bossy and funny and endlessly useful. I'd say it deserves a spot on every wedding registry or housewarming gift list. It covers everything: the turkey, yes, and the sides and dessert. But it also tells you what to do with turkey stock and how to use up the leftover food. It tells you what not to eat on Thanksgiving (salad! garlic! chocolate!) and how to avoid disaster if you decide to deep-fry your turkey (braver souls than I). It has RULES and IDEAS about things as varied as the music you'll be listening to when you start to cook to just how cheap the cookware you use can be. It is, at turns, soothing and stern, funny and very focused. I have not enjoyed myself as much reading a book on food in a very long time.

And as I read, I realized something crucial about this book. Yes, it's true that you might not need all the recipes Sifton proposes. You may already be devoted to your aunt's cranberry jelly, your father-in-law's stuffing or your grandmother's candied yams (although I cannot wait to try Sifton's Braised Brussels Sprouts with Buttered Bread Crumbs and Pecan Pie, not to mention his Turkey Gumbo the next day). But the far larger deal is this: bringing all the elements of a Thanksgiving feast together, not just food, but tudo, from the prep work to the drinks you serve to the seating arrangements, is a daunting endeavor. I would dare say just the thought of it has scared plenty a would-be hostess or host off the idea altogether. But Sifton has set out to make you feel brave and capable. With this book, he holds your hand and cheers you on all the way. It's a total kitchen essential.

I sadly won't be cooking a Thanksgiving meal this year - we'll be in Kassel in a too-small kitchen - but these are my perennial Thanksgiving must-haves, in case your menu still needs fleshing out:

Comentários

A few weeks ago, I came home to a cardboard package waiting in the mail. Inside was Sam Sifton's slim book titled simply: Ação de graças, and then, further down on the jacket, How to Cook it Well. Well, I thought, sliding the book onto the coffee table, who needs a whole livro on this subject?

But later that evening, I opened the book and started to read. After all, it was just 125 pages long and I'd long been a fan of Sifton's writing. When, by the end of the intro, I had started to laugh out loud as I read - a book about how to prepare Thanksgiving dinner, people - I know he was onto something.

Sifton's manifesto is a total delight. It's bossy and funny and endlessly useful. I'd say it deserves a spot on every wedding registry or housewarming gift list. It covers everything: the turkey, yes, and the sides and dessert. But it also tells you what to do with turkey stock and how to use up the leftover food. It tells you what not to eat on Thanksgiving (salad! garlic! chocolate!) and how to avoid disaster if you decide to deep-fry your turkey (braver souls than I). It has RULES and IDEAS about things as varied as the music you'll be listening to when you start to cook to just how cheap the cookware you use can be. It is, at turns, soothing and stern, funny and very focused. I have not enjoyed myself as much reading a book on food in a very long time.

And as I read, I realized something crucial about this book. Yes, it's true that you might not need all the recipes Sifton proposes. You may already be devoted to your aunt's cranberry jelly, your father-in-law's stuffing or your grandmother's candied yams (although I cannot wait to try Sifton's Braised Brussels Sprouts with Buttered Bread Crumbs and Pecan Pie, not to mention his Turkey Gumbo the next day). But the far larger deal is this: bringing all the elements of a Thanksgiving feast together, not just food, but tudo, from the prep work to the drinks you serve to the seating arrangements, is a daunting endeavor. I would dare say just the thought of it has scared plenty a would-be hostess or host off the idea altogether. But Sifton has set out to make you feel brave and capable. With this book, he holds your hand and cheers you on all the way. It's a total kitchen essential.

I sadly won't be cooking a Thanksgiving meal this year - we'll be in Kassel in a too-small kitchen - but these are my perennial Thanksgiving must-haves, in case your menu still needs fleshing out:


Assista o vídeo: acao de gracas (Novembro 2021).