Receitas de coquetéis, destilados e bares locais

Torta de maçã do deserto americano

Torta de maçã do deserto americano

Levou: Na tigela de farinha coloque uma pitada de sal, açúcar e misture um pouco, em seguida, adicione a manteiga fria em cubos e o leite frio. Sove com a mão ou no robô, até obter uma bola, uma massa frágil que não gruda mais nas suas mãos. Coloque em filme plástico e deixe na geladeira até as maçãs estarem prontas.

O preenchimento: Descasque as maçãs, corte-as ao meio e retire as sementes e os talos, depois coloque-as numa tigela com água fria e sumo de limão, para que não oxidem. Em seguida, corte as maçãs em rodelas mais grossas e misture com a farinha, o açúcar e a canela.

Retire a massa da geladeira e espalhe sobre uma cartolina, um pouco maior que a bandeja de tortas. Em seguida, transfira para a bandeja, junto com o papel manteiga e pressione levemente, cobrindo as bordas da bandeja.

Despeje o recheio de maçã e coloque uniformemente.

Cobertura: Coloque a farinha em uma tigela e misture com o açúcar e a manteiga fria em cubos. Pressione com os dedos e misture até obter pequenas migalhas e polvilhe sobre as maçãs.

Leve a assadeira ao forno a 180 graus por 45 minutos, até dourar levemente por cima.

Pode ser servido quente ou frio, se desejar, com uma xícara de sorvete de baunilha ao lado.


Sobremesa de torta de maçã americana - Receitas

O Dia da Independência é um dos muitos destaques do verão. Os cachorros-quentes na grelha, a mesa coberta com o pano xadrez vermelho e todo mundo mastigando melancia e esperando os fogos de artifício são apenas alguns momentos queridos do Dia da Independência. No dia 4 de julho, o patriotismo é exibido em todos os lugares, até no menu, que não para apenas nos hambúrgueres e costelas, mas se estende até a sobremesa. No The Daily Meal procurámos algumas sobremesas icónicas e All-American.

O que pode ser mais americano do que a torta de maçã? As maçãs foram plantadas na América quando os peregrinos chegaram em 1600. Com esse fato, as maçãs foram arraigadas na refeição americana desde o início. A torta de maçã não é só para o outono, mas também pode ser combinada com sorvete (pie a la mode). Se você quer uma reviravolta divertida na torta de maçã, experimente esta receita de torta de maçã embriagada.

Torta de creme Boston

O Boston Cream Pie foi supostamente aperfeiçoado e popularizado por volta de 1850 no Park House Hotel em Boston, tornando-o verdadeiramente uma sobremesa americana. A torta foi originalmente chamada de Torta de Creme de Chocolate, mas foi mudada quando a sobremesa se tornou a sobremesa oficial de Massachusetts. A “torta” é na verdade mais um bolo, com duas esponjas recheadas com creme de baunilha e glaceadas com chocolate. Se você está procurando uma maneira rápida de fazer esta sobremesa de dar água na boca, experimente esta receita de torta de creme de Boston sem assar.

Bolo de veludo vermelho

Qual é a melhor maneira de transmitir o orgulho do nosso país por uma sobremesa? Bolo de veludo vermelho. Red Velvet é uma tradição sulista que foi introduzida na América por volta de 1920. A sobremesa clássica com sua massa colorida em tons vermelhos atingiu um renascimento à medida que sua popularidade cresceu nos últimos anos. Este favorito é simplesmente um bolo de chocolate, mas é lindamente apresentado como um bolo vermelho com glacê branco. Jogue alguns granulados azuis por cima neste quatro de julho para torná-lo ainda mais festivo. Para o básico, tente isso Receita fácil de bolo de veludo vermelho.

Tortas De Cereja

Embora tortas não sejam uma tradição americana, as cerejas estão associadas a um de nossos fundadores - George Washington. As cerejas também são uma das favoritas no verão, então se você quiser homenagear o primeiro presidente do nosso país e misturar sobremesas no churrasco, experimente isto Receita fácil de tarte de cereja.

Biscoitos de chocolate

Os biscoitos de chocolate originaram-se na América na década de 1930 devido a um feliz acidente. Ruth Graves Wakefield, proprietária do Tollhouse Inn de Massachusetts, estava tentando assar biscoitos de chocolate, mas acabou o chocolate do padeiro e jogou pedaços de chocolate quebrados como substituto. Os cookies foram um sucesso e Wakefield vendeu sua receita para a Nestlé por um suprimento vitalício de gotas de chocolate. Para homenagear a engenhosidade e o espírito criativo americanos, experimente assar biscoitos de chocolate com esta receita clássica de biscoitos de chocolate.

Divirta seu desejo por doces enquanto comemora o quarto ano deste ano com essas sobremesas americanas.

Torta de maçã embriagada

A torta de maçã é uma receita americana que nos leva de volta à época em que os peregrinos se instalaram.

Boston Cream Pie nasceu em Boston em 1800, comemorado por trazê-lo de volta.


Resumo da receita

  • 1 ½ xícara de farinha de trigo
  • 1 ½ colher de sopa de açúcar branco
  • ½ xícara de gordura
  • ¼ colher de chá de sal
  • ½ colher de chá de fermento em pó
  • 2 gemas de ovo batidas
  • 4 colheres de sopa de água
  • 8 maçãs - descascadas, sem núcleo e cortadas em fatias finas
  • 2 colheres de sopa de suco de limão
  • 2 colheres de sopa de farinha multiuso
  • 1 ¾ xícara de açúcar branco
  • ½ colher de chá de canela em pó
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 1 xícara de farinha multiuso
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • ⅔ xícara de açúcar mascavo
  • ⅔ xícara de manteiga

Pré-aqueça o forno a 350 graus F (175 graus C.) Em uma tigela grande, misture a farinha, o açúcar, o sal e o fermento em pó. Corte a gordura até que a mistura se pareça com migalhas grosseiras. Misture a gema de ovo com a água e misture na farinha até formar uma bola. Abra para caber no fundo de uma assadeira de 10 x 15 polegadas.

Em uma tigela grande, misture as maçãs, o suco de limão, 2 colheres de sopa de farinha, o açúcar e a canela. Despeje o recheio na crosta da torta e salpique com 2 colheres de sopa de manteiga.

Em uma tigela média, misture 1 xícara de farinha, 1 colher de chá de canela, 2/3 xícara de açúcar mascavo e 2/3 xícara de manteiga. Corte a manteiga até ficar quebradiça e polvilhe sobre as maçãs.

Asse no forno pré-aquecido por 60 minutos ou até a cobertura dourar.


Por favor, desculpe esta excursão de pães, pizzas e thangs geralmente com fermento. Ainda na página de cozimento, no entanto - não é a pior das transgressões, eu confio.

Depois da ótima resposta ao meu pedido por uma autêntica deli de centeio judaica de Nova York, estou pensando que não há melhor lugar para pedir uma GRANDE receita clássica de torta de maçã americana (com massa caseira, é claro). Entããão. qualquer um? Prometo brindar você com uma fatia cheia de chantilly e sorvete (bem, é assim que eu gosto. Mas aberto à correção da cultura de origem, embora eu deva declarar que não posso prometer consertar meus maus caminhos a este respeito).

Fácil e clássico - sem espessantes, outras coisas.

9 "pés chatos
2 crostas de pastelaria (12 "para forrar e cobrir) - veja abaixo

4 maçãs granny smith, 4 maçãs douradas deliciosas (ou mais para pesar 4 libras juntas)

1 1/2 manteiga TBL cortada em pontos

linha de prato de torta com massa

misture canela e açúcar em uma tigela

descasque, tire o caroço, corte as maçãs - coloque em uma tigela grande

adicione a mistura de açúcar - misture para cobrir as fatias

coloque as maçãs na massa na forma de torta, empilhando mais alto no centro

com as bordas da prensa do garfo para baixo para selar e cortar a saliência
ou dobre as bordas para selar

corte fendas na crosta superior para o vapor escapar

cubra a borda com papel alumínio - remova durante os últimos 15 minutos de cozimento

Asse cerca de 55 minutos - a meio da volta - comece a verificar aos 50 minutos - Asse até que a crosta fique dourada e o suco borbulhe

Crosta simples (se você tiver processador de alimentos):

na tigela do processador de alimentos coloque

7 1/2 onças (1 1/2 xícaras) de farinha não branqueada para todos os fins

1 barra de manteiga fria cortada em 6 pedaços

2 3/4 onças (1/4 c + 5 colher de chá) de água gelada

Adicione todos os pedaços de manteiga à mistura de farinha na tigela.

Coloque a tampa e o processador de pulsos com pulsos curtos (liga-desliga, liga-desliga) cerca de 8 vezes

Remova a tampa e despeje água gelada uniformemente sobre a mistura de farinha

dê pulsos mais longos - 1 segundo - assim que a massa começar a fazer pequenos grumos, pare.

Retire a massa, com as mãos rapidamente forme uma bola, pressione entre as mãos para achatar em uma panqueca, embrulhe em filme plástico, coloque na geladeira por 20 minutos e depois abra.

Há muito tempo eu queria fotografar uma macieira favorita. Tem a mais bela colheita de maçãs do segundo ano. Eu saí para passear com minha cadela, Dolly, hoje e agarrei a câmera no caminho na esperança de passar pela minha árvore favorita ao longo de campos amadurecendo com vários grãos, você sabe, fotos de nuvens e outras coisas.

Enquanto caminhávamos, procurei um dos gatos do meu vizinho, que estava desaparecido há vários dias. Como Dolly adora cumprimentar cães e gatos em nossa excursão diária, não seria muito estranho se nos cruzássemos. Fizemos a volta mais longa, passando pela macieira enquanto circulávamos cerca de meio quilômetro de casa. Então simplesmente aconteceu! Eu, totalmente envolvido em tentar tirar uma boa foto tirando cerca de 4 fotos, quando percebi que Dolly encontrou algo na grama alta sob a árvore. Naturalmente. um gato. Estranho, o gato ficou deitado enquanto assobiava para Dolly. Muito estranho. Peguei meu celular para ligar para um vizinho. Não, tenho a padaria, não o vizinho. Eu encontrei um número (outro vizinho relacionado) e disquei pedindo detalhes sobre o gato desaparecido. Dolly manteve distância, mas se perguntou por que o gato não queria brincar (muitos deles não querem.) O gato se encaixava no APB e logo uma criança subiu de bicicleta para identificar positivamente o animal de estimação de seu primo. Aproximei-me e acariciei suavemente o gato verificando as pernas e o rabo. Peguei com muito cuidado e trouxe para casa. Sim, era o gatinho que faltava. O gato pareceu suspirar em agradecimento ao reconhecer que a casa em breve estaria segura nos braços de sua amorosa família. Fizemos nossa boa ação naquele dia.

Desculpe por roubar seu tópico Ross, eu imaginei que você ganhou sua torta, agora você vai conseguir uma história de resgate de maçã e cachorro! Cães e gatos também são tão americanos quanto a torta de maçã.

Ou strudel. Traz boas lembranças dos lindos bolos na Áustria e na Alemanha, sempre servidos com uma tigela generosa com uma pilha alta de chantilly. Minha contagem de endorfinas e calorias está acelerando com o simples pensamento.

Strudel é muito mais fácil! São basicamente os mesmos ingredientes. Um método, como fazer torta, é que as maçãs são espalhadas sobre a massa e polvilhadas com açúcar, canela, migalhas, passas (para strudel), uma vez que fica lá, o outro é misturar tudo em uma tigela primeiro e depois espalhar sobre o massa. Não consigo decidir o que prefiro. Na minha opinião, a torta de maçã quente é melhor servida com sorvete de baunilha. Strudel com chantilly.

Ross, essa tem sido uma busca para minha esposa por muitos anos, tanto para comer fora quanto para fazer em casa. Quanto a este último, ela nunca ficou mais satisfeita do que com a receita de duas crostas do Cook's Illustrated. Como seu melhor cliente, não posso discordar.

Como um destinatário grato por essa mesma receita, cortesia da postagem de Karin abaixo, estou ansioso para experimentá-la.

O que eu fiz várias vezes é Tyler Florence's Ultimate Caramel Apple Pie.

O caramelo de vinho tinto demora um pouco, mas é um contador incrível para as maçãs azedas Granny Smith (que são as únicas maçãs com que vou assar na primavera, verão).

Não exatamente para o meu brief, mas bom estar alerta para uma receita que você recomenda.

A menos que você esteja cozinhando hoje, sugiro uma visita à sua biblioteca para ver se eles têm o livro de receitas de cozimento Cook's Illustrated (intitulado como from America's Test Kitchen). Sua crosta de torta de vodka (sim!) É fácil, quase infalível e gosto muito. Também gosto do recheio de torta de maçã em "The Perfect Recipe", de Pam Anderson, é muito bom. Esse livro também deve estar na sua biblioteca. Lamento não escrevê-los aqui, mas não são meus para dá-los. É por isso que sugiro que você pegue os livros da biblioteca.

é um ótimo recurso (e sem propagandas!) Eu já fiz a crosta da torta de vodka várias vezes, funciona como um encanto. A receita fácil do strudel de maçã também é maravilhosa.

A única coisa que sinto falta aqui no Maine são maçãs assadas realmente boas - infelizmente, nada de maçãs Boskop! Sem laranja Cox! Granny Smith são azedas, mas não muito saborosas quando assadas, e eu não gosto do sabor do McIntosh. A melhor possibilidade é misturar diferentes maçãs em um recheio (como sugere o chef Tartine).

Apenas uma nota: Ross estipulou torta de maçã "clássica", não carmalizada, não com licor, amêndoas, conhaque. Uma "Torta de Maçã Clássica Americana" não contém nenhum desses.

Não que eu não aprecie as contribuições de todos, mas fico feliz que você tenha colocado este lembrete, fminparis. Devo acrescentar, também, que estou particularmente interessado na parte de pastelaria. As tortas de maçã que experimentei aqui geralmente têm um topo de massa folhada e uma base que tende a ser mais fina do que imagino ser uma base de torta americana clássica. Estou baseando minha visão da torta de maçã americana "ideal" naquelas que vi nos filmes. Não tenho mais nada para continuar!

Talvez eu deva descrever este "ideal" para que você possa compará-lo com o que você sabe ser o verdadeiro negócio e me avisar se eu entendi certo ou errado - ou algo entre os dois. A base é grossa e meio pastosa, então você não precisa serrar com a ponta da colher, ela é maleável e pode ser cortada facilmente. O recheio apresenta fatias distintas de maçã no que parece ser um molho viscoso. Obviamente, está cozido, mas não transformado em purê. A crosta em cima é arredondada e acho que brilha com açúcar levemente polvilhado. Estou tocando alguma campainha? Ou talvez esta torta de maçã americana que estou vendo não seja nada parecida com a verdadeira? Tanto faz, estou salivando.

Como você deve ter percebido neste e em outros posts meus, meu principal interesse em comida é geralmente em autênticas especialidades regionais tradicionais - comida do povo, ao invés de coisas cheffy de luxo. Restaurantes com estrelas Michelin e similares têm o seu lugar, mas para mim, comida requintada e cheffy é um modo artístico elitista de cozinha que só pode ser apreciado por quem tem dinheiro. Isso meio que me deixa de fora, o que me deixa um pouco ressentido (embora eu reconheça que é uma resposta irracional). Mas embora reconheça que adoraria experimentar alguns pratos sofisticados universalmente aclamados (Tetsuya, The Fat Duck, El Bulli etc.), se dinheiro não fosse problema e eu tivesse que escolher, eu escolheria comida de rua excelente como os maravilhosos centros de vendedores ambulantes do sudeste da Ásia, a culinária do estilo bistrô francês e a massa caseira da mamãe em um pequeno vilarejo na Toscana. Você entendeu a ideia.

Enfim, esse fio já rendeu um pouco de ouro, mas se sobrar mais algum naquelas colinas, ficaria muito grato se eu pudesse dar uma olhada no que você tem!

PS: BTW, é Cozinheiros ilustrados um clássico livro de receitas americano? Não está na minha biblioteca local - pelas minhas pesquisas na web, parece que é uma revista, não um livro?

Eles também podem ter publicado uma coleção em forma de livro, não sei. Eles são um pouco cafonas como o Kansas (embora sejam de Vermont), mas são confiáveis ​​para testes básicos (e para testes de equipamentos). A torta de maçã com duas crostas é um desses itens básicos em que eles se destacam.

Quanto à crosta, minha tia há muito me ensinou a usar banha de porco. Sem dúvida, este é o mais excêntrico e fiel à tradição americana clássica. James Beard tem uma crosta que inclui gemas de ovo para enriquecimento extra.

Re banha: Eu sei que faz as melhores crostas de tortas salgadas, mas pensou que manteiga e gorduras vegetais eram mais comumente usados ​​em tortas doces? Alguém mais tem ideias sobre isso?

usadas, a manteiga e / ou gorduras à base de vegetais são coisas mais novas. Minha mãe nunca usava nada além de banha, mesmo quando tinham uma vaca e faziam manteiga. Manteiga era para colocar no pão, banha para assar! Raramente a manteiga chegava a uma ocasião especial de cozimento, mas banha de porco ou até mesmo gordura de bacon (completa com os pedacinhos pretos do bacon frito) era a gordura certa. Nunca tive uma torta que não fosse feita de banha ou de gordura e a gordura dá uma crosta muito bonita. Se você tiver objeções aos pedaços nele, simplesmente coloque em uma panela e adicione um pouco de água e aqueça, observando para não ferver ou cuspir, quando derreter mexa na água e deixe descansar durante a noite em um lugar fresco, a graxa limpa solidificará no topo da água e os pedaços cairão no fundo da panela.

Ela também nunca adicionava açúcar à crosta e até evitava biscoitos de chá com açúcar extra, fazia seus shortcakes de morango com biscoitos a velha receita normal sem açúcar, e eles sempre eram engolidos!

Sim, eles têm uma ótima revista (sou assinante dela e do site deles), mas Cook's Illustrated (CI) é uma máquina de livros de receitas. Depois de assinar a revista, você é inundado com as ofertas de livros de receitas. Então, sim, eles fazem livros de receitas! Os livros de receitas da CI são geralmente livros temáticos - peixes, carnes, sobremesas, mas muito específicos e muito caros.

America's Test Kitchen (ATK) é o braço de TV da CI. Eles têm um programa de culinária que vai ao ar na TV pública. Eles geralmente usam a marca ATK para seus livros de receitas "completos", então procure o Livro de receitas de cozimento da família ATK.

Com qualquer um dos nomes, sua principal missão é testar uma receita até obter o que acham que é a receita perfeita. Eles modificam as medidas e os ingredientes e experimentam todos os aspectos de uma receita, assando ou cozinhando o prato muitas e muitas vezes, até obter o resultado que buscavam. Então suas receitas são sempre muito, muito boas. Mas essa é apenas minha opinião, eu acho.

Não gosto de como eles são avarentos em termos de solicitações de livros e outros produtos variados, mas suas receitas são boas.

Olá, apaguei meu primeiro comentário com a receita 'fora do tópico'.
Eu deveria ter mencionado a receita de Rose Levy Beranbaum para "The Best All-American Apple Pie" em seu livro, The Pie and Pastry Bible, em meu comentário original: ^)
Rose tem uma maneira muito boa de preparar as fatias de maçã, reduzindo e concentrando os sucos das maçãs -
isso resulta em um sabor tão bom de maçã. Muitas informações realmente boas sobre tortas de frutas em seu livro.
Espero que você encontre a torta de maçã que está procurando, Ross!
: ^) de breadsong

Não há necessidade de deletar nada. Sua postagem, como todas as outras aqui, foi feita com o espírito de contribuição, e isso é fabbo - e apreciada! Acontece que eu tenho uma fixação em um estilo tradicional de torta e fiquei feliz com o comentário de fminparis destacando os detalhes de meu pedido. Eu provavelmente deveria ter deixado isso mais claro em primeiro lugar. Então, obrigado novamente a todos!

E quaisquer outras receitas tradicionais 'clássicas' são muito bem-vindas.

Ah, e a propósito, vocês (por exemplo: americanos viciados em torta de maçã) comem sua torta com creme e sorvete, ou sou apenas um bárbaro antípoda?

Você pode ser um bárbaro, mas isso é outro problema. :-p

Cresci no Texas e minha família se mudou do Mississippi e do Alabama para cá depois da Guerra Civil, então as raízes sulistas são dominantes. A torta de maçã pode ser servida e comida simples, ou com chantilly, ou com sorvete de baunilha, ou reaquecido com uma fatia de queijo derretido sobre ele. Apenas um pagão ou um ianque amaldiçoado faria o contrário. : D

. Que tal chantilly E sorvete de baunilha (juntos): aceitável para vocês sulistas, ou excesso pagão (a acusação dos Malditos Yankees nunca vai grudar em mim!)?

Aliás, eu recuei horrorizado com a ideia de queijo derretido sobre torta de maçã, mas ao tentar compartilhar o horror com minha parceira nascida na Inglaterra, ela me deu um tapa na bunda com o comentário de que essa combinação é comum na Inglaterra. Um deserto tradicional em Yorkshire, na verdade. Ela ainda acrescentou que acha que derreter queijo sobre torta de maçã originou na Inglaterra. assim como as próprias tortas de maçã! Então, parece que vocês não apenas arrancaram a América dos Poms - vocês também roubaram suas tortas de maçã! Não atire em mim - eu sou apenas o mensageiro.

Não havia maçãs crescendo na América do Norte até que os colonos da Europa e do Reino Unido chegaram. Mas não se preocupe, trocamos tomates e milho pela tecnologia de torta roubada. * sorriso *

Meu pai sempre ralava queijo cheddar em sua torta de maçã. Achava que era estranho quando era criança, mas agora como muitas coisas mais estranhas.

Sempre me perguntavam "sorvete ou chantilly".

Não tenho dúvidas de que a torta de maçã, com ou sem queijo, foi adotada dos ingleses, escoceses e galeses que se estabeleceram no sul dos Apalaches. A conexão britânica era tão forte e duradoura que Francis James Child pesquisou muitas, e alguns dizem a maioria, das 305 canções folclóricas de sua antologia As baladas populares inglesas e escocesas (1882-1898) nos Apalaches porque a música folclórica tradicional viveu lá, embora quase tenha morrido na Grã-Bretanha.

Colocar meu boné de esnobismo da culinária sulista, ter os dois seria barroco, mesmo com certeza ultrapassado. :-) Isso vem de alguém que gosta tanto de maionese quanto de mostarda no meu sanduíche. : dar de ombros:

Vou abster-me de julgá-lo por sua maionese + mostarda, se você fizer o mesmo comigo sobre meus excessos de creme e sorvete. Colina?

PS: Afirmo que o creme e o sorvete são naturalmente mais compatíveis do que a maionese e a mostarda. :-()

Há algo de errado com mayo + mostarda? Aqui em cima no PNW tenho que pedir que um sanduíche seja feito de uma forma diferente (se eu quisesse fazer de uma forma diferente, por qualquer motivo).

Que tal maionese em hambúrgueres? Misturar ketchup e molho tártaro?

Não tenho nada de útil para contribuir com a discussão da torta de maçã. Vou ficar com minha torta de maçã holandesa com sorvete e chantilly.

. Noto que você disse "com sorvete E chantilly". Agora isso é meu menino.

Esta receita foi publicada na revista Cook's Illustrated '97 - Não vejo porque não pode ser publicada aqui. Como você pode ver, essa receita em particular não tem a crosta de torta de vodka, mas eu a posto também.

Não posso dizer com frequência - Cook’s Illustrated é um recurso fantástico, suas receitas quase sempre são ótimas. Até a receita do Lebkuchen alemão era melhor do que qualquer outra que experimentei na Alemanha!

Estou testando novas receitas para eles, de vez em quando, então sei que tudo é testado abundantemente. E, a propósito, a cozinha de teste deles fica perto de Boston - Rei Arthur são os caras em Vermont.

TORTA DE MAÇÃ CLÁSSICA

Se você estiver fazendo esta torta durante o outono, quando muitas variedades locais podem estar disponíveis, siga a receita abaixo usando maçãs Macoun, Royal Gala, Empire, Winesap, Rhode Island Greening ou Cortland. São maçãs bem balanceadas, ao contrário da Granny Smith, e funcionam bem sozinhas, sem espessantes ou adição de McIntosh. Colocar a torta em uma assadeira no forno inibe o cozimento, então cubra o fundo do forno com uma folha de papel alumínio para pegar os sucos pingando. A torta é melhor comida quando resfriada quase à temperatura ambiente, ou mesmo no dia seguinte. Consulte a última etapa do procedimento para obter instruções de execução.

  • Massa de torta
  • 2 1/2 xícaras de farinha para todos os fins não branqueada, mais extra para polvilhar
  • 1 colher de chá de sal de mesa
  • 2 colheres de sopa de açúcar granulado
  • 12 colheres de sopa de manteiga sem sal, gelada, cortada em pedaços de 1/4 de polegada
  • 8 colheres de sopa de gordura vegetal (resfriada)
  • 6 a 8 colheres de sopa de água gelada
  • Recheio de maçã
  • 2 libras de maçãs Granny Smith (4 médias)
  • 2 libras de maçãs McIntosh (4 médias)
  • 3/4 xícara de açúcar granulado
  • 1 1/2 colheres de sopa de suco de limão
  • 1 colher de chá de raspas de limão a partir de 1 limão médio
  • 1/4 colher de chá de sal de mesa
  • 1/4 colher de chá de canela em pó
  • 1/8 colher de chá de pimenta da Jamaica moída
  • 1 clara de ovo batida levemente
  • 1 colher de sopa de açúcar granulado, para cobertura

1. Bata a farinha, o sal e o açúcar em uma tigela de trabalho do processador de alimentos com lâmina de aço. Adicione a manteiga e pulse para misturar em cinco rajadas de 1 segundo. Adicione a gordura e continue a pulsar até que a farinha fique amarelo claro e se assemelhe a fubá grosso, mais quatro ou cinco pulsos de 1 segundo. Transforme a mistura em uma tigela média. (Para fazer isso manualmente, congele a manteiga e a gordura vegetal, rale na farinha usando os orifícios grandes de um ralador de caixa e esfregue os pedaços revestidos de farinha entre os dedos por um minuto até que a farinha fique amarelada e grossa.)

2. Polvilhe 6 colheres de sopa de água gelada sobre a mistura. Com uma lâmina de espátula de borracha, use um movimento de dobramento para misturar. Pressione a massa com o lado largo da espátula até a massa grudar, adicionando 2 colheres de sopa a mais de água gelada se a massa não se firmar. Esprema a massa suavemente até ficar coesa e divida em duas bolas iguais. Achate cada um em um disco de 4 polegadas de largura. Polvilhe levemente com farinha, embrulhe separadamente em plástico e leve à geladeira por pelo menos 30 minutos, ou até 2 dias, antes de rolar.

3. Retire a massa da geladeira. Se estiver duro e muito frio, deixe repousar até a massa esfriar, mas maleável. Ajuste a grelha do forno para a posição central e aqueça o forno a 425 graus.

4. Abra um disco de massa sobre uma superfície levemente enfarinhada em um círculo de 30 centímetros. Dobre a massa em quartos e, em seguida, coloque a ponta da massa no centro de um pirex normal de 23 cm ou de uma forma de torta funda. Desdobre a massa.

5. Pressione suavemente a massa nas laterais da assadeira, deixando a parte que fica saliente da bandeja de torta no lugar. Leve à geladeira enquanto prepara a fruta.

6. Descasque, retire o caroço e corte as maçãs em rodelas de 1/2 a 3/4 de polegada e misture com 3/4 de xícara de açúcar, suco e raspas de limão, pimenta da Jamaica e canela. Transforme a mistura de frutas, incluindo sucos, em uma torta gelada e monte um pouco no centro. Abra a outra massa e coloque sobre o recheio. Apare as bordas superior e inferior em 1/2 polegada além da borda da panela. Coloque essa borda de massa por baixo de si mesma, de modo que a borda dobrada fique alinhada com a borda da assadeira. Borda da flauta ou pressione com os dentes do garfo para selar. Corte quatro fendas em ângulos retos no topo da massa. Pincele clara de ovo no topo da crosta e polvilhe uniformemente com 1 colher de sopa de açúcar restante (omita se estiver congelando torta não assada, veja abaixo).

7. Asse até que a crosta superior esteja dourada, cerca de 25 minutos. Reduza a temperatura do forno para 375 graus e continue assando até que os sucos borbulhem e a crosta fique bem dourada, 30 a 35 minutos a mais. Transfira a torta para uma gradinha e esfrie quase à temperatura ambiente, por pelo menos 4 horas.

8. Do-Ahead: Congele a torta sem assar por duas a três horas, cubra-a com uma camada dupla de filme plástico e coloque-a no freezer por no máximo duas semanas. Para assar, retire a torta do congelador, pincele com a lavagem do ovo, polvilhe com açúcar e coloque diretamente no forno pré-aquecido a 425 graus. Depois de assá-lo pelos usuais 55 minutos, reduza o forno a 325 graus, cubra a torta com papel alumínio para não cozer demais e leve ao forno por mais vinte a vinte e cinco minutos.

TORTA À PROVA DE CROSTA ÚNICA

Para uma torta de crosta única de 9 polegadas

A vodka é essencial para a textura da crosta e não dá sabor - não substitua. Esta massa será mais úmida e flexível do que a maioria das massas de pizza padrão e exigirá mais farinha para estender (até 1/4 de xícara).

  • 1 1/4 xícaras de farinha para todos os fins não branqueada (6 1/4 onças)
  • 1/2 colher de chá de sal de mesa
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 6 colheres de sopa de manteiga sem sal fria (3/4 palito), cortada em fatias de 1/4 de polegada
  • 1/4 xícara de gordura vegetal sólida resfriada, cortada em 2 pedaços
  • 2 colheres de sopa de vodka gelada
  • 2 colheres de sopa de água fria

1. Bata 3/4 xícaras de farinha, sal e açúcar no processador de alimentos até incorporar, cerca de 2 pulsos de um segundo. Adicione a manteiga e a gordura e processe até que a massa homogênea comece a se acumular em pedaços desiguais, cerca de 10 segundos (a massa se parecerá com coalhada de queijo cottage com alguns pedaços muito pequenos de manteiga remanescentes, mas não deve haver farinha não revestida). Raspe as laterais e o fundo da tigela com uma espátula de borracha e redistribua a massa uniformemente em torno da lâmina do processador. Adicione 1/2 xícara de farinha restante e pulse até que a mistura esteja uniformemente distribuída ao redor da tigela e a massa da massa tenha sido quebrada, 4 a 6 pulsos rápidos. Esvazie a mistura em uma tigela média.

2. Polvilhe vodka e água sobre a mistura. Com uma espátula de borracha, use um movimento de dobra para misturar, pressionando a massa até que a massa fique ligeiramente pegajosa e grude. Achate a massa em um disco de 4 polegadas. Embrulhe em filme plástico e leve à geladeira por pelo menos 45 minutos ou até 2 dias.

3. Ajuste a grelha do forno para a posição mais baixa, coloque a assadeira com bordas na grelha do forno e aqueça o forno a 425 graus. Retire a massa da geladeira e abra sobre uma superfície de trabalho generosamente enfarinhada (até ¼ xícara) em um círculo de 30 cm de aproximadamente 1/8 de polegada de espessura. Enrole a massa levemente em torno do rolo de massa e desenrole na forma de torta, deixando pelo menos 1 polegada de saliência de cada lado. Trabalhando ao redor da circunferência, coloque a massa no prato levantando suavemente a borda da massa com uma mão enquanto pressiona o fundo do prato com a outra mão. Deixe a massa remanescente no lugar e leve à geladeira até a massa ficar firme, cerca de 30 minutos.

4. Corte a saliência para ½ polegada além da borda da bandeja de torta. A saliência da dobra sob a própria borda dobrada deve ficar nivelada com a borda da bandeja de torta. Flute a massa ou pressione os dentes de um garfo contra a massa para achatá-la contra a borda do prato de torta. Refrigere o prato forrado de massa até ficar firme, cerca de 15 minutos.

5. Remova a forma de torta da geladeira, forre a crosta com papel alumínio e recheie com pesos ou moedas de torta. Asse por 15 minutos. Remova o papel alumínio e os pesos, gire o prato e leve ao forno por mais 5 a 10 minutos minutos até que a crosta esteja dourada e crocante.


Torta de Maçã, A Sobremesa Mais Americana (8ª Série Inglês Tarefa # 9)

Hoje, para o inglês, estarei escrevendo um ensaio sobre como a torta de maçã foi considerada a sobremesa mais americana por muito tempo. Por que eu acho que isso é, eu acho que isso ainda está correto e, finalmente, o que eu escolheria como a sobremesa mais americana?

Acho que a torta de maçã é considerada a sobremesa mais americana por dois motivos. Um dos motivos é que temos torta de maçã como agradecimento. O Dia de Ação de Graças é um feriado bem americano. Celebramos este dia porque foi o dia em que os peregrinos comeram com os índios e todos nos ajudamos, em vez de lutarmos uns contra os outros. Normalmente é uma tradição comer torta de maçã enquanto sua família e amigos se deliciam com a comida que cada um de vocês contribuiu para criar! Isso tudo aconteceu na América, que na época era chamada de “A Nova Terra”, então essa é uma das razões pelas quais a torta de maçã é considerada o deserto mais americano! A segunda razão é por causa do beisebol! Beisebol é um esporte muito americano, agora você deve estar se perguntando como a torta de maçã e o beisebol se relacionam? Bem, depois que um time de beisebol ganha um jogo, eles saem e compram uma torta de maçã! Duas coisas americanas, podem até tornar-se ainda mais americanas!

Atualmente, acho que a torta de maçã ainda é a sobremesa mais americana. Embora o dia de ação de graças tenha começado anos e anos atrás, ainda o celebramos até hoje! Este é um dia em que todos nos reunimos e seremos muito gratos pelas bênçãos que nos foram dadas, sejam nossas casas, família ou mesmo amigos, ainda estamos muito gratos por tudo isso! Durante o dia de ação de graças, todos nós nos reunimos em torno de uma mesa, algumas famílias fazem uma oração com base em sua religião, outras não, geralmente as coisas que você come são peru, purê de batata, macarrão com queijo, caçarola de feijão verde e torta de sobremesa, e às vezes você pode conseguir uma bola de sorvete em cima disso!

Se a torta de maçã não fosse a sobremesa mais americana, eu teria que escolher um cheesecake ou biscoitos de chocolate! O motivo pelo qual eu teria escolhido o cheesecake é porque ele foi feito em Nova York e muitos poderiam argumentar sobre o que é mais americano do que Nova York. O motivo pelo qual biscoitos de chocolate seriam meu próximo palpite é porque quem não ama um bom biscoito? Temos todos os tipos de cookies, temos Chips Ahoy, Chips deluxe, você tem uma abundância de receitas online e muito, muito, mais!

Concluindo, acho que a torta de maçã é a sobremesa mais americana por causa do Dia de Ação de Graças e do beisebol! Obrigado por ler minha postagem no meu blog, Aprendizagem de pijama, Volte para mais de mim!


Por que somos â & # x20AC; & # x2122; como American Pieâ & # x20AC; & # x2122?

Quando refletimos sobre nossa herança americana, as imagens do beisebol, a Estátua da Liberdade, as águias americanas e, talvez com mais frequência, a torta de maçã, vêm imediatamente à mente. Mas as maçãs não são nativas da América, então por que nossa identidade está tão inextricavelmente ligada a essa sobremesa escamosa?

As maçãs chegaram à América através dos peregrinos. As maçãs datam de milhares de anos na Europa e na Ásia, onde a árvore provavelmente se originou. By the 1600s, England had more than 70 varieties of apples, and some of these seeds were brought over on the Mayflower. The first apple seeds were planted in the Massachussetts colony in 1625, and cultivation quickly became widespread, with over 14,000 varieties by the end of the 1800s. Though few of these varieties are still grown today, America remains one of the world's largest apple producers.

Pies were also an import brought by the Pilgrims, but not what we would think of today as pie. Instead, pie crusts were used more as an airtight storage vessel to carry and preserve fillings such as fowl, venison, or beef. When fruit was involved, it intermixed as a savory flavoring with the meat rather than as a pie in its own right. Made from course flour and suet, pie crusts were hard, thick, tough, and virtually inedible, as the French had not yet introduced butter to the American diet. Contrary to popular belief, there were no modern-die pies (apple, pumpkin, or otherwise) at the first Thanksgiving in 1621.

Historian Janet Clarkson wrote that "[f]ruit pies started to come into their own during the sixteenth century as sugar became cheaper and more delicate forms of pastry were available." As America expanded west, the spread of apples was helped immeasurably by John Chapman, better known as Johnny Appleseed, who, by the late 1700s had planted apple trees all along the frontier. Pioneers who followed in his footsteps dried and preserved the apples for food, made cider, and transformed the apples into brandy and applejack, both valuable trading commodities.

By 1860, the phrase "as American as apple pie" was already in use, though cooks seemed well aware of the pie's foreign roots. In her 1869 novel Oldtown Folks, Harriet Beecher Stowe wrote that "the pie is an English tradition, which, planted on American soil, forthwith ran rampant and burst forth into an untold variety of genera and species."

As the modern pie grew more popular, a 1902 newspaper article proclaimed that "No pie-eating people can be permanently vanquished." This may have been part of a marketing push by apple producers, whose efforts also popularized the phrase "an apple a day keeps the doctor away."

Decades later, when journalists asked soldiers why they were fighting World War II, a common slogan was "for mom and apple pie," which gave rise to the phrase "as American as motherhood and apple pie." By the 1960s, the phrase had mostly dropped the not-unique-to-America idea of motherhood.

So, apple pie as the quintessential American product may be an apt metaphor after all -- it was brought here from foreign shores, was influenced by other cultures and immigration patterns, and spread throughout the world by global affairs. Today, pie reflects the agricultural diversity of the country, from Maine's official state dessert blueberry pie to Florida's key lime. But it all began with apples, which, in the nation's infancy, were grown on almost every farm.


Just because a nation claims a cultural icon doesn't mean they necessarily invented it the Statue of Liberty for example is made by the French, depicts a Roman goddess, and is mostly known for its links to immigration.

Apple pie is, as you've noted, very old and well known in Europe centuries before USA existed. Apples were however very important to early European settlers, being mostly used for cider (see Johnny Appleseed). Thereafter apple pies became popular but it wasn't closely associated with the United States yet.

Things started to change around the turn of the 20th century in an editorial in The New York Times (May 3, 1902):

Pie is the American synonym of prosperity and its varying contents the calendar of the changing seasons. Pie is the food of the heroic. No pie-eating people can ever be permanently vanquished. .

In our own glad and fortunate country the seasons are known by their respective dominant pies—for each there is an appropriate pie, with apple pie for all the year 'round.

While the article is about pies in general, and names mince, custard, lemon, rhubarb, berry, peach and pumpkin pies, apple pie is named first and noted as the only one available "all the year 'round". This was made possible by preservation techniques developed by Pennsylvania Dutch pioneers.

It was only until WWII that "as American as apple pie" really took off, where apparently US soldiers would use the stock answer "mom and apple pie" when asked why they were enlisting, and/or what they missed about home. I couldn't find a reference for this though. It's not clear why apple pies would be such an important food, especially compared to foods like hot dogs which are closely associated with baseball, except that apple pies would have been baked by mothers and associated with motherhood. However, by 1950 the song The Fiery Bear contains these lyrics:

We love our baseball and apple pie

We love our county fair

We'll keep Old Glory waving high

There's no place here for a bear

Suggesting that by this stage, apple pies were just as patriotically American as baseball, county fairs and the flag.

And in 1975, Chevrolet ran a song with the lyrics "Baseball, hot dogs, apple pie, and Chevrolet", indicating that by then, apple pies were well and truly an American icon.

@congusbongus' answer covered pretty much everything that had to be said about the Apple pies. I wanted to contribute another source to answer your question from phrases.org.uk which adds how American settlers would write back to homeland appreciating American Apple pies and how foreign visitors noted Apple pie as one the first culinary specialities. Quoting my reference below:

"America in So Many Words: Words that have Shaped America" by Allen Metcalf & David K. Barnhart" (Houghton Mifflin Co., Boston, 1997) has a section on the subject --"1697 apple pie."

"Samuel Sewall, distinguished alumnus of Harvard College and citizen of Boston, went on a picnic expedition to Hog Island on October 1, 1697. There he dined on apple pie. He wrote in his diary, 'Had first Butter, Honey, Curds and cream. For Dinner, very good Rost Lamb, Turkey, Fowls, Applepy.'
This is the first, but hardly the last, American mention of a dish whose patriotic symbolism is expressed in a 1984 book by Susan Purdy, 'As Easy as Pie': 'This is IT - what our country and flag are as American as. Since the earliest colonial days, apple pies have been enjoyed in America for breakfast, for an entrée, and for dinner. Colonist wrote home about them and foreign visitors noted apple pie as one of our first culinary specialties.' We cannot claim to have invented the apple pie, just to have perfected it." But here's the surprising part. The expression "as American as apple pie," the authors say, is not that old. "Apple pie figures in our figurative language, too, as in the expressions 'simple as pie' (since everyone supposedly knows how to make apple pie) and, though not an Americanism, 'apple-pie order' . But it was only in the twentieth century, apparently in the 1960s, that we began to be 'as American as apple pie.'"

And of course we remember the notorious H. Rap Brown, whose 15 minutes of fame flickered in the '60s. His immortal quote was "violence is American as cherry pie."

Also these are other few websites with other interesting theories on Americanism of Apple pies:

Throughout the 1700s, Pennsylvania Dutch women pioneered methods of preserving apples -- through the peeling, coring, and drying of the fruit -- and made it possible to prepare apple pie at any time of year. In the vein of many things American, settlers then proceeded to declare the apple pie “uniquely American”, often failing to acknowledge its roots. For instance, in America’s first-known cookbook, American Cookery, published in 1798, multiple recipes for apple pies were included with no indication of their cultural origins.


Desert american apple pie - Rețete

“As American as apple pie” is a common phrase used to describe things that are undeniably American, like Uncle Sam, McDonald’s, and fireworks and barbecues for the 4 th of July. But as popular as the tasty dessert might be in the land of the free, it isn’t actually American.

First of all, apples themselves aren’t American. When colonists arrived in North America, they found only crab apple trees—and if you’ve ever tried to eat a crab apple, you probably know that they wouldn’t be very nice in pies. The most likely ancestor of apples as we know them today can still be found in Asia: the wild genus Malus sieversii. Alexander the Great is said to have discovered dwarfed apples in Kazakhstan and brought them back to Macedonia in 328 BC, but there is fossilized evidence of apples dating as far back as the Iron and Stone Ages in Switzerland and other parts of Europe.

The Romans are thought to have introduced apples to England, and from there American colonists started spreading them throughout the New World. Apple seeds were spread along trade routes, but the early trees were unable to bear much fruit due to a lack of the European honey bee, Apis mellifera. This type of honey bee was shipped to the Americas in 1622. It was much more prolific than the native honey bee, the Apis mellipona, which produces less than one kilogram of honey each year (compared to the Apis mellifera’s 50 kilograms). As apple trees depend upon pollination to fruit, apple trees flourished after the introduction of the European bee.

By the time apples arrived in the Americas, cooking with apples was nothing new. In fact, the first recorded recipe for apple pie was written in 1381 in England, and called for figs, raisins, pears, and saffron in addition to apples. Early apple pie recipes were a lot different from what we know today, as they rarely called for sugar, an expensive and hard-to-get item at the time. Originally, this apple pie was served in a pastry called a “coffin” which wasn’t normally meant for consumption and was only supposed to be a container for the filling.

Similarly, Dutch apple pies—the type usually decorated with a lattice of pastry on top—have also been around for centuries. A recipe for apple pie very similar to today’s recipes appeared in a Dutch cookbook in 1514. A variety of other recipes appeared in French, Italian, and German recipe collections dating back to before the American colonies were settled.

Even when the American colonists were finally able produce enough apples to cater to more widespread consumption, they were initially used to make hard cider rather than pie. Apple pies generally call for “cooking quality” apples—varieties that are crisp and acidic—and such apples hadn’t yet been developed in American orchards.

Perhaps one of the contributors to making apple pies an “American” dessert is John Chapman, a Massachusetts man you probably know better as Johnny Appleseed. Born in Massachusetts in 1774, Chapman travelled through America’s frontier planting apple orchards largely in Pennsylvania and Ohio. Though he was considered a strange, eccentric person, Chapman did not plant apple trees at random rather, he would plant his orchards and return years later to sell the land for a higher price. It’s estimated he walked around 10,000 miles before his death, and his way of life—usually walking around barefoot in the wilderness with just a knife for protection—earned him a spot as a tough but caring frontiersman and an American folk hero. Chapman’s beloved apples became “American” by association.

Apple pie was further cemented in American history by a 1902 newspaper article that claimed “No pie-eating people can be permanently vanquished.” American soldiers during World War II also did their part to popularize the stereotype. When asked by journalists why they were going to war, a common slogan used as a response was, “For mom and apple pie” which later gave rise to “As American as motherhood and apple pie”. Because most Americans are suckers for patriotism, apple pie was quickly adopted as “the” American thing by the 1960s- “As American as apple pie”, dropping the more obviously not unique American thing of “motherhood”.

An alternate theory sometimes put forth as to the origin of the expression is that it actually pre-dated the soldier’s usage and derivation of “For mom and apple pie”. In this theory, the expression was actually put forth as a part of a marketing campaign by apple growers, trying to get people to eat more apples. This was the origin of the expression, “An apple a day keeps the doctor away.” At the time that expression first popped up, a large percentage of apples in America were used to make hard cider, but with the women’s temperance movement and eventual Prohibition, apple growers started trying to promote the apple as more of a food item and the “apple a day” expression was one of the byproducts of that. It’s also very possible the above “No pie-eating people can be permanently vanquished” and similar such quotes were part of this push.

However, despite my sincerest efforts, I was unable to find any first hand documented evidence to back up that latter theory for the exact expression “As American as apple pie”, nor instances of the exact expression pre-dating WWII. As there is first hand documented evidence to back up the “soldier” origin theory and the expression didn’t become prevalent until the 1950s and 1960s, long after the “hard cider” issue was a problem, I’m going with the soldier theory being the true origin, though it seems probable enough that marketers may have eventually had their hand in it and the theory is somewhat plausible with the push to get people to eat more apples in the early 20th century.

In the end, America seems to have taken the apple pie and ran with it, making it more popular. While American apple orchards had a bumpy road to producing good apples, America quickly became one of the largest producers of apples. Nearly every farm grew apples during the United States’ infancy, and today over 220,000,000 bushels of apples are produced every year there. (It is second only to China, which produces roughly half of the world’s apples! Chinese as apple pie?)

If you liked this article, you might also enjoy our new popular podcast, The BrainFood Show (iTunes, Spotify, Google Play Music, Feed), as well as:


Finally, A Great Portable Pellet Smoker


Green Mountain’s portable Davy Crockett Pellet Smoker is one mean tailgating and picnic machine. But it’s also gaining popularity with people who want to add a small, set it and forget it pellet smoker to their backyard arsenal. And with their WiFi capabilities you can control and monitor Davy Crocket from your smart phone or laptop.

Click here to read our detailed review and to order


Video: A MELHOR TORTA DE MAÇÃ CROCANTE (Janeiro 2022).