Receitas de coquetéis, destilados e bares locais

Campbell’s lança nova linha de sopa orgânica, souplicity

Campbell’s lança nova linha de sopa orgânica, souplicity

“Simples é o novo delicioso”

A linha é orgânica, não transgênica e sem conservantes.

Grandes empresas, como Pepsi e Coca-Cola, foram impactadas por mais consumidores preocupados com a saúde, mas a Campbell’s está mantendo a tendência com o lançamento de sua nova linha de sopas orgânicas, Souplicidade.

Os produtos da Souplicity são inspirados em chefs, mas têm a comodidade de serem refrigerados, segundo a empresa local na rede Internet.

"Enquanto mais da metade dos consumidores procuram alimentos orgânicos e feitos com ingredientes simples e reconhecíveis, houve uma inovação mínima na categoria de sopas frescas refrigeradas para atender a essas demandas", disse Todd Putman, gerente geral da unidade C-Fresh da Campbell , contado Just-Food. "Com o Souplicity, estamos trazendo sabores ousados ​​e variedade aos consumidores que desejam um toque culinário fresco em um clássico."

Os produtos da linha passam por processamento em alta pressão, método que mata bactérias sem conservantes químicos e mantém a qualidade da sopa, Fera Alimentícia relatado.

Souplicity atualmente tem quatro sabores: Pimenta Vermelha Assada Tomate Gouda, Cenoura Curry Gengibre, Brócolis Parmesão Limão e Milho Poblano Limão.

As sopas vêm em recipientes de 17,6 onças e custam US $ 5,99.


Pergunta: Alcançando a geração Y por meio da inovação de novos produtos na Campbell’s Soup O que um profissional de marketing deve fazer quando toda a categoria de seus produtos está diminuindo? Essa é a situação A sopa Campbell’s se encontrou quando muitos consumidores decidiram que a sopa não era mais "mmm Mmm boa". 53 A sopa Campbell’s foi pioneira na fabricação de alimentos em massa, tornando-a "estável na prateleira".

A sopa Campbell's foi pioneira na fabricação de alimentos em massa, tornando produtos "estáveis ​​em prateleira" (enlatados) um acessório nas despensas americanas. Mas muitos dos consumidores de hoje preferem uma abordagem diferente para comer - sazonal, fresco e orgânico. Isso é particularmente verdadeiro para os 80 milhões de millennials da América, uma geração importante que a Campbell's e outros fabricantes de sopa não estavam atraindo para seus produtos tradicionais de sopa enlatada. Para se reconectar com este segmento de mercado, a nova CEO Denise Morrison levou a empresa de 125 anos em algumas novas direções ousadas, usando uma combinação de inovação de produto conduzida internamente e aquisições de pioneiros da indústria de alimentos. 54

A primeira tarefa era entender o que a geração do milênio quer em comida. Para esta pesquisa, Morrison enviou os funcionários da Campbell para cidades conhecidas como centros hipster - Austin, Texas Portland, Oregon, Londres e Paris - para aprender sobre as preferências desses clientes em potencial. Esta geração, eles aprenderam, é culturalmente diversa e globalmente conectada. Embora tenham diploma universitário, também tendem a estar subempregados. Esta geração “fora de casa” gosta de cozinhas que antes eram consideradas exóticas: mexicana, indiana e asiática. O vice-presidente de insights do consumidor da Campbell resumiu: “Eles passam a vida procurando e reunindo experiências diferentes. Eles experimentam alimentos da mesma forma que experimentam empregos. ” A equipe da Campbell não se limitou a perguntar aos clientes o que eles queriam - eles usaram um processo de imersão profunda, que envolvia executivos fazendo refeições com os clientes em suas casas, olhando em suas despensas e acompanhando em idas ao supermercado. 55

A Campbell's também queria prever para onde os gostos dos alimentos se dirigiriam no futuro. Para essa tarefa, a empresa entrevistou chefs, nutricionistas e acadêmicos, mas também especialistas de outro tipo: designers, antropólogos e futuristas. A Campbell's aprendeu não apenas o que os consumidores podem comer em breve, mas como eles querem comprar seus alimentos. Tecnologias como realidade aumentada / virtual, inteligência artificial e novos tipos de moeda afetarão a forma como os alimentos são comprados - tanto por meio de dispositivos móveis quanto no varejo tradicional. 56

As aquisições foram um caminho que a Campbell seguiu para adicionar à sua linha de produtos. Garden Fresh Gourmet era uma marca voltada para a saúde, com seguidores leais por sua salsa e homus. Agora uma marca da Campbell, ela oferece aos clientes sopas gourmet em tamanhos para alimentar uma família inteira. A Bolthouse Farms, vendedora de cenouras frescas e bebidas refrigeradas, trouxe experiência e clientes adicionais. Para alcançar pais milenares, Plum Organics foi adicionado, trazendo com ele uma linha de alimentos para bebês e crianças pequenas. 57

Essas aquisições ajudaram a abordar outra descoberta da pesquisa: a alta prioridade dada a alimentos saudáveis ​​e frescos. Os consumidores estavam preocupados com os níveis de sódio e xarope de milho com alto teor de frutose nas sopas tradicionais da Campbell. 58 A tendência de preferência por alimentos orgânicos também influenciou as escolhas de inovação da empresa. A Campbell's lançou um produto desenvolvido internamente, Go Soups, uma linha premium de sopas focada no frescor e embalada não em latas, mas em bolsas de plástico projetadas para transmitir esse frescor. 59 Mas a Campbell's não chutou completamente, oferecendo seu Well Yes! sopas em lata, mas sem ingredientes artificiais. E a linha Souplicity da Campbell usa processamento de alta pressão, permitindo que o produto retenha seu sabor e cor sem o uso de conservantes. 60

Esse foco na saúde se estende além dos produtos para a educação e uma oferta de serviço exclusiva. A Campbell's agora oferece um site e aplicativo, whatsinmyfood.com, que permite que os consumidores vejam detalhes sobre os ingredientes, onde a comida é obtida e como é feita. 61 Ainda mais revolucionária é a aquisição da Habit, uma start-up que fornece recomendações dietéticas personalizadas. Os clientes enviam um kit de teste nutricional caseiro para um laboratório certificado e, em seguida, recebem uma dieta personalizada junto com a página 241 com orientação de um nutricionista, tudo baseado no estilo de vida, fisiologia e objetivos de saúde do consumidor. 62

Para uma empresa acostumada a algumas inovações a cada ano, o novo ritmo de desenvolvimento de produtos é de tirar o fôlego - em um ano, eles planejavam lançar 200 novos produtos. 63 Nem todos são sucessos: um kit para fazer sopa nas cafeteiras Keurig foi abandonado devido a vendas decepcionantes. 64 No entanto, para acompanhar as mudanças nas prioridades da geração do milênio e de todos os seus clientes, a Campbell's provavelmente terá que manter essa taxa agressiva de inovação, usando aquisições adicionais e P & ampD contínuo para lançar mais produtos e serviços.


Questões para consideração

A Campbell's expandiu suas ofertas por meio de sua própria pesquisa e desenvolvimento e adquirindo outras empresas e seus produtos. Quais são os prós e os contras dessas duas opções? Qual deve ser o foco de Campbell daqui para frente?


Pergunta: Alcançando a geração Y por meio da inovação de novos produtos na Campbell’s Soup O que um profissional de marketing deve fazer quando toda a categoria de seus produtos está encolhendo? Essa é a situação A sopa Campbell’s se encontrou quando muitos consumidores decidiram que a sopa não era mais "mmm Mmm boa". 53 A sopa Campbell’s foi pioneira na fabricação de alimentos em massa, tornando-a "estável na prateleira".

A sopa Campbell's foi pioneira na fabricação de alimentos em massa, tornando produtos "estáveis ​​em prateleira" (enlatados) um acessório nas despensas americanas. Mas muitos dos consumidores de hoje preferem uma abordagem diferente para comer - sazonal, fresco e orgânico. Isso é particularmente verdadeiro para os 80 milhões de millennials da América, uma geração importante que a Campbell's e outros fabricantes de sopa não estavam atraindo para seus produtos tradicionais de sopa enlatada. Para se reconectar com este segmento de mercado, a nova CEO Denise Morrison levou a empresa de 125 anos em algumas novas direções ousadas, usando uma combinação de inovação de produto conduzida internamente e aquisições de pioneiros da indústria de alimentos. 54

A primeira tarefa era entender o que a geração do milênio quer em comida. Para esta pesquisa, Morrison enviou os funcionários da Campbell para cidades conhecidas como centros hipster - Austin, Texas Portland, Oregon, Londres e Paris - para aprender sobre as preferências desses clientes em potencial. Esta geração, eles aprenderam, é culturalmente diversa e globalmente conectada. Embora tenham diploma universitário, também tendem a estar subempregados. Esta geração “fora de casa” gosta de cozinhas que antes eram consideradas exóticas: mexicana, indiana e asiática. O vice-presidente de insights do consumidor da Campbell resumiu: “Eles passam a vida procurando e reunindo experiências diferentes. Eles experimentam alimentos da mesma forma que experimentam empregos. ” A equipe da Campbell não se limitou a perguntar aos clientes o que eles queriam - eles usaram um processo de imersão profunda, que envolvia executivos fazendo refeições com os clientes em suas casas, olhando em suas despensas e acompanhando em idas ao supermercado. 55

A Campbell's também queria prever para onde os gostos dos alimentos se dirigiriam no futuro. Para essa tarefa, a empresa entrevistou chefs, nutricionistas e acadêmicos, mas também especialistas de outro tipo: designers, antropólogos e futuristas. A Campbell's aprendeu não apenas o que os consumidores podem comer em breve, mas como eles querem comprar seus alimentos. Tecnologias como realidade aumentada / virtual, inteligência artificial e novos tipos de moeda afetarão a forma como os alimentos são comprados - tanto por meio de dispositivos móveis quanto no varejo tradicional. 56

As aquisições foram um caminho que a Campbell seguiu para adicionar à sua linha de produtos. Garden Fresh Gourmet era uma marca voltada para a saúde, com seguidores leais por sua salsa e homus. Agora uma marca da Campbell, ela oferece aos clientes sopas gourmet em tamanhos para alimentar uma família inteira. A Bolthouse Farms, vendedora de cenouras frescas e bebidas refrigeradas, trouxe experiência e clientes adicionais. Para alcançar pais milenares, Plum Organics foi adicionado, trazendo com ele uma linha de alimentos para bebês e crianças pequenas. 57

Essas aquisições ajudaram a abordar outra descoberta da pesquisa: a alta prioridade dada a alimentos saudáveis ​​e frescos. Os consumidores estavam preocupados com os níveis de sódio e xarope de milho com alto teor de frutose nas sopas tradicionais da Campbell. 58 A tendência de preferência por alimentos orgânicos também influenciou as escolhas de inovação da empresa. A Campbell's lançou um produto desenvolvido internamente, Go Soups, uma linha premium de sopas focada no frescor e embalada não em latas, mas em bolsas de plástico projetadas para transmitir esse frescor. 59 Mas a Campbell's não chutou completamente, oferecendo seu Well Yes! sopas em lata, mas sem ingredientes artificiais. E a linha Souplicity da Campbell usa processamento de alta pressão, permitindo que o produto retenha seu sabor e cor sem o uso de conservantes. 60

Esse foco na saúde se estende além dos produtos para a educação e uma oferta de serviço exclusiva. A Campbell's agora oferece um site e aplicativo, whatsinmyfood.com, que permite que os consumidores vejam detalhes sobre os ingredientes, onde a comida é obtida e como é feita. 61 Ainda mais revolucionária é a aquisição da Habit, uma start-up que fornece recomendações dietéticas personalizadas. Os clientes enviam um kit de teste nutricional caseiro para um laboratório certificado e, em seguida, recebem uma dieta personalizada junto com a página 241 com orientação de um nutricionista, tudo baseado no estilo de vida, fisiologia e objetivos de saúde do consumidor. 62

Para uma empresa acostumada a algumas inovações a cada ano, o novo ritmo de desenvolvimento de produtos é de tirar o fôlego - em um ano, eles planejavam lançar 200 novos produtos. 63 Nem todos são sucessos: um kit para fazer sopa nas cafeteiras Keurig foi abandonado devido a vendas decepcionantes. 64 No entanto, para acompanhar as mudanças nas prioridades da geração do milênio e de todos os seus clientes, a Campbell's provavelmente terá que manter essa taxa agressiva de inovação, usando aquisições adicionais e P & ampD contínuo para lançar mais produtos e serviços.


Questões para consideração

A Campbell's expandiu suas ofertas por meio de sua própria pesquisa e desenvolvimento e adquirindo outras empresas e seus produtos. Quais são os prós e os contras dessas duas opções? Qual deve ser o foco de Campbell daqui para frente?


Pergunta: Alcançando a geração Y por meio da inovação de novos produtos na Campbell’s Soup O que um profissional de marketing deve fazer quando toda a categoria de seus produtos está diminuindo? Essa é a situação A sopa Campbell’s se encontrou quando muitos consumidores decidiram que a sopa não era mais "mmm Mmm boa". 53 A sopa Campbell’s foi pioneira na fabricação de alimentos em massa, tornando-se "estável na prateleira".

A sopa Campbell's foi pioneira na fabricação de alimentos em massa, tornando produtos "estáveis ​​na prateleira" (enlatados) um acessório nas despensas americanas. Mas muitos dos consumidores de hoje preferem uma abordagem diferente para comer - sazonal, fresco e orgânico. Isso é particularmente verdadeiro para os 80 milhões de millennials da América, uma geração importante que a Campbell's e outros fabricantes de sopa não estavam atraindo para seus produtos tradicionais de sopa enlatada. Para se reconectar com este segmento de mercado, a nova CEO Denise Morrison levou a empresa de 125 anos em algumas novas direções ousadas, usando uma combinação de inovação de produto conduzida internamente e aquisições de pioneiros da indústria de alimentos. 54

A primeira tarefa era entender o que a geração do milênio quer em comida. Para esta pesquisa, Morrison enviou os funcionários da Campbell para cidades conhecidas como centros hipster - Austin, Texas Portland, Oregon, Londres e Paris - para aprender sobre as preferências desses clientes em potencial. Esta geração, eles aprenderam, é culturalmente diversa e globalmente conectada. Embora tenham diploma universitário, também tendem a estar subempregados. Esta geração “fora de casa” gosta de cozinhas que antes eram consideradas exóticas: mexicana, indiana e asiática. O vice-presidente de insights do consumidor da Campbell resumiu: “Eles passam a vida procurando e reunindo experiências diferentes. Eles experimentam alimentos da mesma forma que experimentam empregos. ” A equipe da Campbell não se limitou a perguntar aos clientes o que eles queriam - eles usaram um processo de imersão profunda, que envolvia executivos fazendo refeições com os clientes em suas casas, olhando em suas despensas e acompanhando em idas ao supermercado. 55

A Campbell's também queria prever para onde os gostos dos alimentos se dirigiriam no futuro. Para essa tarefa, a empresa entrevistou chefs, nutricionistas e acadêmicos, mas também especialistas de outro tipo: designers, antropólogos e futuristas. A Campbell's aprendeu não apenas o que os consumidores podem comer em breve, mas como eles querem comprar seus alimentos. Tecnologias como realidade aumentada / virtual, inteligência artificial e novos tipos de moeda afetarão a forma como os alimentos são comprados - tanto por meio de dispositivos móveis quanto no varejo tradicional. 56

As aquisições foram um caminho que a Campbell seguiu para adicionar à sua linha de produtos. Garden Fresh Gourmet era uma marca voltada para a saúde, com seguidores leais por sua salsa e homus. Agora uma marca da Campbell, ela oferece aos clientes sopas gourmet em tamanhos para alimentar uma família inteira. A Bolthouse Farms, vendedora de cenouras frescas e bebidas refrigeradas, trouxe experiência e clientes adicionais. Para alcançar pais milenares, Plum Organics foi adicionado, trazendo com ele uma linha de alimentos para bebês e crianças pequenas. 57

Essas aquisições ajudaram a abordar outra descoberta da pesquisa: a alta prioridade dada a alimentos saudáveis ​​e frescos. Os consumidores estavam preocupados com os níveis de sódio e xarope de milho com alto teor de frutose nas sopas tradicionais da Campbell. 58 A tendência de preferência por alimentos orgânicos também influenciou as escolhas de inovação da empresa. A Campbell's lançou um produto desenvolvido internamente, Go Soups, uma linha premium de sopas focada no frescor e embalada não em latas, mas em bolsas de plástico projetadas para transmitir esse frescor. 59 Mas a Campbell's não chutou completamente, oferecendo seu Well Yes! sopas em lata, mas sem ingredientes artificiais. E a linha Souplicity da Campbell usa processamento de alta pressão, permitindo que o produto retenha seu sabor e cor sem o uso de conservantes. 60

Esse foco na saúde se estende além dos produtos para a educação e uma oferta de serviço exclusiva. A Campbell's agora oferece um site e aplicativo, whatsinmyfood.com, que permite que os consumidores vejam detalhes sobre os ingredientes, onde a comida é obtida e como é feita. 61 Ainda mais revolucionária é a aquisição da Habit, uma start-up que fornece recomendações dietéticas personalizadas. Os clientes enviam um kit de teste nutricional caseiro para um laboratório certificado e, em seguida, recebem uma dieta personalizada junto com a página 241 com orientação de um nutricionista, tudo baseado no estilo de vida, fisiologia e objetivos de saúde do consumidor. 62

Para uma empresa acostumada a algumas inovações a cada ano, o novo ritmo de desenvolvimento de produtos é de tirar o fôlego - em um ano, eles planejavam lançar 200 novos produtos. 63 Nem todos são sucessos: um kit para fazer sopa nas cafeteiras Keurig foi abandonado devido a vendas decepcionantes. 64 No entanto, para acompanhar as mudanças nas prioridades da geração do milênio e de todos os seus clientes, a Campbell's provavelmente terá que manter essa taxa agressiva de inovação, usando aquisições adicionais e P & ampD contínuo para lançar mais produtos e serviços.


Questões para consideração

A Campbell's expandiu suas ofertas por meio de sua própria pesquisa e desenvolvimento e adquirindo outras empresas e seus produtos. Quais são os prós e os contras dessas duas opções? Qual deve ser o foco de Campbell daqui para frente?


Pergunta: Alcançando a geração Y por meio da inovação de novos produtos na Campbell’s Soup O que um profissional de marketing deve fazer quando toda a categoria de seus produtos está diminuindo? Essa é a situação A sopa Campbell’s se encontrou quando muitos consumidores decidiram que a sopa não era mais "mmm Mmm boa". 53 A sopa Campbell’s foi pioneira na fabricação de alimentos em massa, tornando-se "estável na prateleira".

A sopa Campbell's foi pioneira na fabricação de alimentos em massa, tornando produtos "estáveis ​​em prateleira" (enlatados) um acessório nas despensas americanas. Mas muitos dos consumidores de hoje preferem uma abordagem diferente para comer - sazonal, fresco e orgânico. Isso é particularmente verdadeiro para os 80 milhões de millennials da América, uma geração importante que a Campbell's e outros fabricantes de sopa não estavam atraindo para seus produtos tradicionais de sopa enlatada. Para se reconectar com este segmento de mercado, a nova CEO Denise Morrison levou a empresa de 125 anos em algumas novas direções ousadas, usando uma combinação de inovação de produto conduzida internamente e aquisições de pioneiros da indústria de alimentos. 54

A primeira tarefa era entender o que a geração do milênio quer em comida. Para esta pesquisa, Morrison enviou os funcionários da Campbell para cidades conhecidas como centros hipster - Austin, Texas Portland, Oregon, Londres e Paris - para aprender sobre as preferências desses clientes em potencial. Esta geração, eles aprenderam, é culturalmente diversa e globalmente conectada. Embora tenham diploma universitário, também tendem a estar subempregados. Esta geração “fora de casa” gosta de cozinhas que antes eram consideradas exóticas: mexicana, indiana e asiática. O vice-presidente de insights do consumidor da Campbell resumiu: “Eles passam a vida procurando e reunindo experiências diferentes. Eles experimentam alimentos da mesma forma que experimentam empregos. ” A equipe da Campbell não se limitou a perguntar aos clientes o que eles queriam - eles usaram um processo de imersão profunda, que envolvia executivos fazendo refeições com os clientes em suas casas, olhando em suas despensas e acompanhando em idas ao supermercado. 55

A Campbell's também queria prever para onde os gostos dos alimentos se dirigiriam no futuro. Para essa tarefa, a empresa entrevistou chefs, nutricionistas e acadêmicos, mas também especialistas de outro tipo: designers, antropólogos e futuristas. A Campbell's aprendeu não apenas o que os consumidores podem comer em breve, mas como eles querem comprar seus alimentos. Tecnologias como realidade aumentada / virtual, inteligência artificial e novos tipos de moeda afetarão a forma como os alimentos são comprados - tanto por meio de dispositivos móveis quanto no varejo tradicional. 56

As aquisições foram um caminho que a Campbell seguiu para adicionar à sua linha de produtos. Garden Fresh Gourmet era uma marca voltada para a saúde com seguidores leais por sua salsa e homus. Agora uma marca da Campbell, ela oferece aos clientes sopas gourmet em tamanhos para alimentar uma família inteira. A Bolthouse Farms, vendedora de cenouras frescas e bebidas refrigeradas, trouxe experiência e clientes adicionais. Para alcançar pais milenares, Plum Organics foi adicionado, trazendo com ele uma linha de alimentos para bebês e crianças pequenas. 57

Essas aquisições ajudaram a abordar outra descoberta da pesquisa: a alta prioridade dada a alimentos saudáveis ​​e frescos. Os consumidores estavam preocupados com os níveis de sódio e xarope de milho com alto teor de frutose nas sopas tradicionais da Campbell. 58 A tendência de preferência por alimentos orgânicos também influenciou as escolhas de inovação da empresa. A Campbell's lançou um produto desenvolvido internamente, Go Soups, uma linha premium de sopas focada no frescor e embalada não em latas, mas em bolsas de plástico projetadas para transmitir esse frescor. 59 Mas a Campbell's não chutou completamente, oferecendo seu Well Yes! sopas em lata, mas sem ingredientes artificiais. E a linha Souplicity da Campbell usa processamento de alta pressão, permitindo que o produto retenha seu sabor e cor sem o uso de conservantes. 60

Esse foco na saúde se estende além dos produtos para a educação e uma oferta de serviço exclusiva. A Campbell's agora oferece um site e aplicativo, whatsinmyfood.com, que permite que os consumidores vejam detalhes sobre os ingredientes, onde a comida é obtida e como é feita. 61 Ainda mais revolucionária é a aquisição da Habit, uma start-up que fornece recomendações dietéticas personalizadas. Os clientes enviam um kit de teste nutricional caseiro para um laboratório certificado e, em seguida, recebem uma dieta personalizada junto com a página 241 com orientação de um nutricionista, tudo baseado no estilo de vida, fisiologia e objetivos de saúde do consumidor. 62

Para uma empresa acostumada a algumas inovações a cada ano, o novo ritmo de desenvolvimento de produtos é de tirar o fôlego - em um ano, eles planejavam lançar 200 novos produtos. 63 Nem todos são sucessos: um kit para fazer sopa nas cafeteiras Keurig foi abandonado devido a vendas decepcionantes. 64 No entanto, para acompanhar as mudanças nas prioridades da geração do milênio e de todos os seus clientes, a Campbell's provavelmente terá que manter essa taxa agressiva de inovação, usando aquisições adicionais e P & ampD contínuo para lançar mais produtos e serviços.


Questões para consideração

A Campbell's expandiu suas ofertas por meio de sua própria pesquisa e desenvolvimento e adquirindo outras empresas e seus produtos. Quais são os prós e os contras dessas duas opções? Qual deve ser o foco de Campbell daqui para frente?


Pergunta: Alcançando a geração Y por meio da inovação de novos produtos na Campbell’s Soup O que um profissional de marketing deve fazer quando toda a categoria de seus produtos está diminuindo? Essa é a situação A sopa Campbell’s se encontrou quando muitos consumidores decidiram que a sopa não era mais "mmm Mmm boa". 53 A sopa Campbell’s foi pioneira na fabricação de alimentos em massa, tornando-a "estável na prateleira".

A sopa Campbell's foi pioneira na fabricação de alimentos em massa, tornando produtos "estáveis ​​na prateleira" (enlatados) um acessório nas despensas americanas. Mas muitos dos consumidores de hoje preferem uma abordagem diferente para comer - sazonal, fresco e orgânico. Isso é particularmente verdadeiro para os 80 milhões de millennials da América, uma geração importante que a Campbell's e outros fabricantes de sopa não estavam atraindo para seus produtos tradicionais de sopa enlatada. Para se reconectar com este segmento de mercado, a nova CEO Denise Morrison levou a empresa de 125 anos em algumas novas direções ousadas, usando uma combinação de inovação de produto conduzida internamente e aquisições de pioneiros da indústria de alimentos. 54

A primeira tarefa era entender o que a geração do milênio quer em comida. Para esta pesquisa, Morrison enviou os funcionários da Campbell para cidades conhecidas como centros hipster - Austin, Texas Portland, Oregon, Londres e Paris - para aprender sobre as preferências desses clientes em potencial. Esta geração, eles aprenderam, é culturalmente diversa e globalmente conectada. Embora tenham diploma universitário, também tendem a estar subempregados. Esta geração “fora de casa” gosta de cozinhas que antes eram consideradas exóticas: mexicana, indiana e asiática. O vice-presidente de insights do consumidor da Campbell resumiu: “Eles passam a vida procurando e reunindo experiências diferentes. Eles experimentam alimentos da mesma forma que experimentam empregos. ” A equipe da Campbell não se limitou a perguntar aos clientes o que eles queriam - eles usaram um processo de imersão profunda, que envolvia executivos fazendo refeições com os clientes em suas casas, olhando em suas despensas e acompanhando em idas ao supermercado. 55

A Campbell's também queria prever para onde os gostos dos alimentos se dirigiriam no futuro. Para essa tarefa, a empresa entrevistou chefs, nutricionistas e acadêmicos, mas também especialistas de outro tipo: designers, antropólogos e futuristas. A Campbell's aprendeu não apenas o que os consumidores podem comer em breve, mas como eles querem comprar seus alimentos. Tecnologias como realidade aumentada / virtual, inteligência artificial e novos tipos de moeda afetarão a forma como os alimentos são comprados - tanto por meio de dispositivos móveis quanto no varejo tradicional. 56

As aquisições foram um caminho que a Campbell seguiu para adicionar à sua linha de produtos. Garden Fresh Gourmet era uma marca voltada para a saúde com seguidores leais por sua salsa e homus. Agora uma marca da Campbell, ela oferece aos clientes sopas gourmet em tamanhos para alimentar uma família inteira. A Bolthouse Farms, vendedora de cenouras frescas e bebidas refrigeradas, trouxe experiência e clientes adicionais. Para alcançar pais milenares, Plum Organics foi adicionado, trazendo com ele uma linha de alimentos para bebês e crianças pequenas. 57

Essas aquisições ajudaram a abordar outra descoberta da pesquisa: a alta prioridade dada a alimentos saudáveis ​​e frescos. Os consumidores estavam preocupados com os níveis de sódio e xarope de milho com alto teor de frutose nas sopas tradicionais da Campbell. 58 A tendência de preferência por alimentos orgânicos também influenciou as escolhas de inovação da empresa. A Campbell's lançou um produto desenvolvido internamente, Go Soups, uma linha premium de sopas focada no frescor e embalada não em latas, mas em bolsas de plástico projetadas para transmitir esse frescor. 59 Mas a Campbell's não chutou completamente, oferecendo seu Well Yes! sopas em lata, mas sem ingredientes artificiais. E a linha Souplicity da Campbell usa processamento de alta pressão, permitindo que o produto retenha seu sabor e cor sem o uso de conservantes. 60

Esse foco na saúde se estende além dos produtos para a educação e uma oferta de serviço exclusiva. A Campbell's agora oferece um site e aplicativo, whatsinmyfood.com, que permite que os consumidores vejam detalhes sobre os ingredientes, onde a comida é obtida e como é feita. 61 Ainda mais revolucionária é a aquisição da Habit, uma start-up que fornece recomendações dietéticas personalizadas. Os clientes enviam um kit de teste nutricional caseiro para um laboratório certificado e, em seguida, recebem uma dieta personalizada junto com a página 241 com orientação de um nutricionista, tudo baseado no estilo de vida, fisiologia e objetivos de saúde do consumidor. 62

Para uma empresa acostumada a algumas inovações a cada ano, o novo ritmo de desenvolvimento de produtos é de tirar o fôlego - em um ano, eles planejavam lançar 200 novos produtos. 63 Nem todos são sucessos: um kit para fazer sopa nas cafeteiras Keurig foi abandonado devido a vendas decepcionantes. 64 No entanto, para acompanhar as mudanças nas prioridades da geração do milênio e de todos os seus clientes, a Campbell's provavelmente terá que manter essa taxa agressiva de inovação, usando aquisições adicionais e P & ampD contínuo para lançar mais produtos e serviços.


Questões para consideração

A Campbell's expandiu suas ofertas por meio de sua própria pesquisa e desenvolvimento e adquirindo outras empresas e seus produtos. Quais são os prós e os contras dessas duas opções? Qual deve ser o foco de Campbell daqui para frente?


Pergunta: Alcançando a geração Y por meio da inovação de novos produtos na Campbell’s Soup O que um profissional de marketing deve fazer quando toda a categoria de seus produtos está encolhendo? Essa é a situação A sopa Campbell’s se encontrou quando muitos consumidores decidiram que a sopa não era mais "mmm Mmm boa". 53 A sopa Campbell’s foi pioneira na fabricação de alimentos em massa, tornando-se "estável na prateleira".

A sopa Campbell's foi pioneira na fabricação de alimentos em massa, tornando produtos "estáveis ​​em prateleira" (enlatados) um acessório nas despensas americanas. Mas muitos dos consumidores de hoje preferem uma abordagem diferente para comer - sazonal, fresco e orgânico. Isso é particularmente verdadeiro para os 80 milhões de millennials da América, uma geração importante que a Campbell's e outros fabricantes de sopa não estavam atraindo para seus produtos tradicionais de sopa enlatada. Para se reconectar com este segmento de mercado, a nova CEO Denise Morrison levou a empresa de 125 anos em algumas novas direções ousadas, usando uma combinação de inovação de produto conduzida internamente e aquisições de pioneiros da indústria de alimentos. 54

A primeira tarefa era entender o que a geração do milênio quer em comida. Para esta pesquisa, Morrison enviou os funcionários da Campbell para cidades conhecidas como centros hipster - Austin, Texas Portland, Oregon, Londres e Paris - para aprender sobre as preferências desses clientes em potencial. Esta geração, eles aprenderam, é culturalmente diversa e globalmente conectada. Embora tenham diploma universitário, também tendem a estar subempregados. Esta geração “fora de casa” gosta de cozinhas que antes eram consideradas exóticas: mexicana, indiana e asiática. O vice-presidente de insights do consumidor da Campbell resumiu: “Eles passam a vida procurando e reunindo experiências diferentes. Eles experimentam alimentos da mesma forma que experimentam empregos. ” A equipe da Campbell não se limitou a perguntar aos clientes o que eles queriam - eles usaram um processo de imersão profunda, que envolvia executivos fazendo refeições com os clientes em suas casas, olhando em suas despensas e acompanhando em idas ao supermercado. 55

A Campbell's também queria prever para onde os gostos dos alimentos se dirigiriam no futuro. Para essa tarefa, a empresa entrevistou chefs, nutricionistas e acadêmicos, mas também especialistas de outro tipo: designers, antropólogos e futuristas. A Campbell's aprendeu não apenas o que os consumidores podem comer em breve, mas como eles querem comprar seus alimentos. Tecnologias como realidade aumentada / virtual, inteligência artificial e novos tipos de moeda afetarão a forma como os alimentos são comprados - tanto por meio de dispositivos móveis quanto no varejo tradicional. 56

As aquisições foram um caminho que a Campbell seguiu para adicionar à sua linha de produtos. Garden Fresh Gourmet era uma marca voltada para a saúde com seguidores leais por sua salsa e homus. Agora uma marca da Campbell, ela oferece aos clientes sopas gourmet em tamanhos para alimentar uma família inteira. A Bolthouse Farms, vendedora de cenouras frescas e bebidas refrigeradas, trouxe experiência e clientes adicionais. Para alcançar pais milenares, Plum Organics foi adicionado, trazendo com ele uma linha de alimentos para bebês e crianças pequenas. 57

These acquisitions helped address another finding of the research: the high priority placed on healthy, fresh food. Consumers were concerned about the levels of sodium and high fructose corn syrup in Campbell’s traditional soups. 58 The trend toward a preference for organic food also influenced the company’s innovation choices. Campbell’s launched an internally developed product, Go Soups, a premium-priced line of soups focused on freshness and packaged not in cans, but in plastic pouches designed to convey that freshness. 59 But Campbell’s has not kicked the can completely, offering its Well Yes! soups in a can, but without artificial ingredients. And Campbell’s Souplicity line uses high-pressure processing, allowing the product to retain its flavor and color without the use of preservatives. 60

This focus on health extends beyond products to education and a unique service offering. Campbell’s now offers a website and app, whatsinmyfood.com, that allows consumers to see details about the ingredients, where the food is sourced, and how it’s made. 61 Even more revolutionary is its acquisition of Habit, a start-up providing personalized diet recommendations. Customers send an at-home nutrition test kit to a certified lab and then receive a personalized diet alongPage 241with coaching from a nutritionist, all based on the consumer’s lifestyle, physiology, and health goals. 62

For a company accustomed to a few innovations each year, the new pace of product development is breathtaking—in one year, they planned to introduce 200 new products. 63 Not all are hits: a kit to make soup in Keurig coffeemakers was abandoned due to disappointing sales. 64 However, to keep pace with the changing priorities of millennials and all its customers, Campbell’s will likely have to keep up this aggressive rate of innovation, using additional acquisitions and continuous R&D to roll out more products and services.


Questions for Consideration

Campbell’s expanded its offerings through both its own R&D and by acquiring other companies and their products. What are the pros and cons of these two options? Which should be Campbell’s focus going forward?


Pergunta: Reaching Millennials Through New Product Innovation At Campbell’s Soup What Is A Marketer To Do When Their Whole Product Category Is Shrinking? That’s The Situation Campbell’s Soup Found Itself In As Many Consumers Decided That Soup Was No Longer “mmm Mmm Good.”53 Campbell’s Soup Was A Pioneer Of Mass Food Manufacturing, Making “shelf-stable”.

Campbell’s Soup was a pioneer of mass food manufacturing, making “shelf-stable” (canned) goods a fixture in American pantries. But many of today’s consumers prefer a different approach to eating—seasonal, fresh, and organic. This is particularly true for America’s 80 million millennials, an important generation that Campbell’s and other soup makers were not attracting to their traditional canned soup products. To reconnect with this market segment, new CEO Denise Morrison took the 125-year-old company in some bold new directions, using a combination of internally driven product innovation and acquisitions of food industry trailblazers. 54

Job one was to understand what millennials want in food. For this research, Morrison sent Campbell’s employees to cities known as hipster hubs—Austin, Texas Portland, Oregon London and Paris—to learn about the preferences of these potential customers. This generation, they learned, is culturally diverse and globally connected. While they have college degrees, they also tend to be underemployed. This “dine-out” generation likes cuisines that were once considered exotic: Mexican, Indian, and Asian. Campbell’s vice president of consumer insights summed it up: “They go through life hunting out and gathering different experiences. They sample foods in the same way they sample jobs.” The Campbell’s team didn’t just ask customers what they wanted—they used a process of deep immersion, which involved executives eating meals with customers in their homes, looking in their pantries, and tagging along on trips to the supermarket. 55

Campbell’s also wanted to predict where food tastes would be headed in the future. For this task, the company interviewed chefs, nutritionists, and academics, but also experts of a different sort: designers, anthropologists, and futurists. Campbell’s learned not only what consumers may soon be eating, but how they want to buy their food. Technologies such as augmented/virtual reality, artificial intelligence, and new kinds of currency will affect how food is purchased—both through mobile devices and brick-and-mortar retail. 56

Acquisitions were one route Campbell’s took to add to its product line. Garden Fresh Gourmet was a health-focused brand with a loyal following for its salsa and hummus. Now a Campbell’s brand, it provides customers with gourmet soups in sizes to feed a whole family. Bolthouse Farms, a seller of fresh carrots and refrigerated beverages, brought additional expertise and customers. To reach millennial parents, Plum Organics was added, bringing with it a food line for babies and toddlers. 57

These acquisitions helped address another finding of the research: the high priority placed on healthy, fresh food. Consumers were concerned about the levels of sodium and high fructose corn syrup in Campbell’s traditional soups. 58 The trend toward a preference for organic food also influenced the company’s innovation choices. Campbell’s launched an internally developed product, Go Soups, a premium-priced line of soups focused on freshness and packaged not in cans, but in plastic pouches designed to convey that freshness. 59 But Campbell’s has not kicked the can completely, offering its Well Yes! soups in a can, but without artificial ingredients. And Campbell’s Souplicity line uses high-pressure processing, allowing the product to retain its flavor and color without the use of preservatives. 60

This focus on health extends beyond products to education and a unique service offering. Campbell’s now offers a website and app, whatsinmyfood.com, that allows consumers to see details about the ingredients, where the food is sourced, and how it’s made. 61 Even more revolutionary is its acquisition of Habit, a start-up providing personalized diet recommendations. Customers send an at-home nutrition test kit to a certified lab and then receive a personalized diet alongPage 241with coaching from a nutritionist, all based on the consumer’s lifestyle, physiology, and health goals. 62

For a company accustomed to a few innovations each year, the new pace of product development is breathtaking—in one year, they planned to introduce 200 new products. 63 Not all are hits: a kit to make soup in Keurig coffeemakers was abandoned due to disappointing sales. 64 However, to keep pace with the changing priorities of millennials and all its customers, Campbell’s will likely have to keep up this aggressive rate of innovation, using additional acquisitions and continuous R&D to roll out more products and services.


Questions for Consideration

Campbell’s expanded its offerings through both its own R&D and by acquiring other companies and their products. What are the pros and cons of these two options? Which should be Campbell’s focus going forward?


Pergunta: Reaching Millennials Through New Product Innovation At Campbell’s Soup What Is A Marketer To Do When Their Whole Product Category Is Shrinking? That’s The Situation Campbell’s Soup Found Itself In As Many Consumers Decided That Soup Was No Longer “mmm Mmm Good.”53 Campbell’s Soup Was A Pioneer Of Mass Food Manufacturing, Making “shelf-stable”.

Campbell’s Soup was a pioneer of mass food manufacturing, making “shelf-stable” (canned) goods a fixture in American pantries. But many of today’s consumers prefer a different approach to eating—seasonal, fresh, and organic. This is particularly true for America’s 80 million millennials, an important generation that Campbell’s and other soup makers were not attracting to their traditional canned soup products. To reconnect with this market segment, new CEO Denise Morrison took the 125-year-old company in some bold new directions, using a combination of internally driven product innovation and acquisitions of food industry trailblazers. 54

Job one was to understand what millennials want in food. For this research, Morrison sent Campbell’s employees to cities known as hipster hubs—Austin, Texas Portland, Oregon London and Paris—to learn about the preferences of these potential customers. This generation, they learned, is culturally diverse and globally connected. While they have college degrees, they also tend to be underemployed. This “dine-out” generation likes cuisines that were once considered exotic: Mexican, Indian, and Asian. Campbell’s vice president of consumer insights summed it up: “They go through life hunting out and gathering different experiences. They sample foods in the same way they sample jobs.” The Campbell’s team didn’t just ask customers what they wanted—they used a process of deep immersion, which involved executives eating meals with customers in their homes, looking in their pantries, and tagging along on trips to the supermarket. 55

Campbell’s also wanted to predict where food tastes would be headed in the future. For this task, the company interviewed chefs, nutritionists, and academics, but also experts of a different sort: designers, anthropologists, and futurists. Campbell’s learned not only what consumers may soon be eating, but how they want to buy their food. Technologies such as augmented/virtual reality, artificial intelligence, and new kinds of currency will affect how food is purchased—both through mobile devices and brick-and-mortar retail. 56

Acquisitions were one route Campbell’s took to add to its product line. Garden Fresh Gourmet was a health-focused brand with a loyal following for its salsa and hummus. Now a Campbell’s brand, it provides customers with gourmet soups in sizes to feed a whole family. Bolthouse Farms, a seller of fresh carrots and refrigerated beverages, brought additional expertise and customers. To reach millennial parents, Plum Organics was added, bringing with it a food line for babies and toddlers. 57

These acquisitions helped address another finding of the research: the high priority placed on healthy, fresh food. Consumers were concerned about the levels of sodium and high fructose corn syrup in Campbell’s traditional soups. 58 The trend toward a preference for organic food also influenced the company’s innovation choices. Campbell’s launched an internally developed product, Go Soups, a premium-priced line of soups focused on freshness and packaged not in cans, but in plastic pouches designed to convey that freshness. 59 But Campbell’s has not kicked the can completely, offering its Well Yes! soups in a can, but without artificial ingredients. And Campbell’s Souplicity line uses high-pressure processing, allowing the product to retain its flavor and color without the use of preservatives. 60

This focus on health extends beyond products to education and a unique service offering. Campbell’s now offers a website and app, whatsinmyfood.com, that allows consumers to see details about the ingredients, where the food is sourced, and how it’s made. 61 Even more revolutionary is its acquisition of Habit, a start-up providing personalized diet recommendations. Customers send an at-home nutrition test kit to a certified lab and then receive a personalized diet alongPage 241with coaching from a nutritionist, all based on the consumer’s lifestyle, physiology, and health goals. 62

For a company accustomed to a few innovations each year, the new pace of product development is breathtaking—in one year, they planned to introduce 200 new products. 63 Not all are hits: a kit to make soup in Keurig coffeemakers was abandoned due to disappointing sales. 64 However, to keep pace with the changing priorities of millennials and all its customers, Campbell’s will likely have to keep up this aggressive rate of innovation, using additional acquisitions and continuous R&D to roll out more products and services.


Questions for Consideration

Campbell’s expanded its offerings through both its own R&D and by acquiring other companies and their products. What are the pros and cons of these two options? Which should be Campbell’s focus going forward?


Pergunta: Reaching Millennials Through New Product Innovation At Campbell’s Soup What Is A Marketer To Do When Their Whole Product Category Is Shrinking? That’s The Situation Campbell’s Soup Found Itself In As Many Consumers Decided That Soup Was No Longer “mmm Mmm Good.”53 Campbell’s Soup Was A Pioneer Of Mass Food Manufacturing, Making “shelf-stable”.

Campbell’s Soup was a pioneer of mass food manufacturing, making “shelf-stable” (canned) goods a fixture in American pantries. But many of today’s consumers prefer a different approach to eating—seasonal, fresh, and organic. This is particularly true for America’s 80 million millennials, an important generation that Campbell’s and other soup makers were not attracting to their traditional canned soup products. To reconnect with this market segment, new CEO Denise Morrison took the 125-year-old company in some bold new directions, using a combination of internally driven product innovation and acquisitions of food industry trailblazers. 54

Job one was to understand what millennials want in food. For this research, Morrison sent Campbell’s employees to cities known as hipster hubs—Austin, Texas Portland, Oregon London and Paris—to learn about the preferences of these potential customers. This generation, they learned, is culturally diverse and globally connected. While they have college degrees, they also tend to be underemployed. This “dine-out” generation likes cuisines that were once considered exotic: Mexican, Indian, and Asian. Campbell’s vice president of consumer insights summed it up: “They go through life hunting out and gathering different experiences. They sample foods in the same way they sample jobs.” The Campbell’s team didn’t just ask customers what they wanted—they used a process of deep immersion, which involved executives eating meals with customers in their homes, looking in their pantries, and tagging along on trips to the supermarket. 55

Campbell’s also wanted to predict where food tastes would be headed in the future. For this task, the company interviewed chefs, nutritionists, and academics, but also experts of a different sort: designers, anthropologists, and futurists. Campbell’s learned not only what consumers may soon be eating, but how they want to buy their food. Technologies such as augmented/virtual reality, artificial intelligence, and new kinds of currency will affect how food is purchased—both through mobile devices and brick-and-mortar retail. 56

Acquisitions were one route Campbell’s took to add to its product line. Garden Fresh Gourmet was a health-focused brand with a loyal following for its salsa and hummus. Now a Campbell’s brand, it provides customers with gourmet soups in sizes to feed a whole family. Bolthouse Farms, a seller of fresh carrots and refrigerated beverages, brought additional expertise and customers. To reach millennial parents, Plum Organics was added, bringing with it a food line for babies and toddlers. 57

These acquisitions helped address another finding of the research: the high priority placed on healthy, fresh food. Consumers were concerned about the levels of sodium and high fructose corn syrup in Campbell’s traditional soups. 58 The trend toward a preference for organic food also influenced the company’s innovation choices. Campbell’s launched an internally developed product, Go Soups, a premium-priced line of soups focused on freshness and packaged not in cans, but in plastic pouches designed to convey that freshness. 59 But Campbell’s has not kicked the can completely, offering its Well Yes! soups in a can, but without artificial ingredients. And Campbell’s Souplicity line uses high-pressure processing, allowing the product to retain its flavor and color without the use of preservatives. 60

This focus on health extends beyond products to education and a unique service offering. Campbell’s now offers a website and app, whatsinmyfood.com, that allows consumers to see details about the ingredients, where the food is sourced, and how it’s made. 61 Even more revolutionary is its acquisition of Habit, a start-up providing personalized diet recommendations. Customers send an at-home nutrition test kit to a certified lab and then receive a personalized diet alongPage 241with coaching from a nutritionist, all based on the consumer’s lifestyle, physiology, and health goals. 62

For a company accustomed to a few innovations each year, the new pace of product development is breathtaking—in one year, they planned to introduce 200 new products. 63 Not all are hits: a kit to make soup in Keurig coffeemakers was abandoned due to disappointing sales. 64 However, to keep pace with the changing priorities of millennials and all its customers, Campbell’s will likely have to keep up this aggressive rate of innovation, using additional acquisitions and continuous R&D to roll out more products and services.


Questions for Consideration

Campbell’s expanded its offerings through both its own R&D and by acquiring other companies and their products. What are the pros and cons of these two options? Which should be Campbell’s focus going forward?


Pergunta: Reaching Millennials Through New Product Innovation At Campbell’s Soup What Is A Marketer To Do When Their Whole Product Category Is Shrinking? That’s The Situation Campbell’s Soup Found Itself In As Many Consumers Decided That Soup Was No Longer “mmm Mmm Good.”53 Campbell’s Soup Was A Pioneer Of Mass Food Manufacturing, Making “shelf-stable”.

Campbell’s Soup was a pioneer of mass food manufacturing, making “shelf-stable” (canned) goods a fixture in American pantries. But many of today’s consumers prefer a different approach to eating—seasonal, fresh, and organic. This is particularly true for America’s 80 million millennials, an important generation that Campbell’s and other soup makers were not attracting to their traditional canned soup products. To reconnect with this market segment, new CEO Denise Morrison took the 125-year-old company in some bold new directions, using a combination of internally driven product innovation and acquisitions of food industry trailblazers. 54

Job one was to understand what millennials want in food. For this research, Morrison sent Campbell’s employees to cities known as hipster hubs—Austin, Texas Portland, Oregon London and Paris—to learn about the preferences of these potential customers. This generation, they learned, is culturally diverse and globally connected. While they have college degrees, they also tend to be underemployed. This “dine-out” generation likes cuisines that were once considered exotic: Mexican, Indian, and Asian. Campbell’s vice president of consumer insights summed it up: “They go through life hunting out and gathering different experiences. They sample foods in the same way they sample jobs.” The Campbell’s team didn’t just ask customers what they wanted—they used a process of deep immersion, which involved executives eating meals with customers in their homes, looking in their pantries, and tagging along on trips to the supermarket. 55

Campbell’s also wanted to predict where food tastes would be headed in the future. For this task, the company interviewed chefs, nutritionists, and academics, but also experts of a different sort: designers, anthropologists, and futurists. Campbell’s learned not only what consumers may soon be eating, but how they want to buy their food. Technologies such as augmented/virtual reality, artificial intelligence, and new kinds of currency will affect how food is purchased—both through mobile devices and brick-and-mortar retail. 56

Acquisitions were one route Campbell’s took to add to its product line. Garden Fresh Gourmet was a health-focused brand with a loyal following for its salsa and hummus. Now a Campbell’s brand, it provides customers with gourmet soups in sizes to feed a whole family. Bolthouse Farms, a seller of fresh carrots and refrigerated beverages, brought additional expertise and customers. To reach millennial parents, Plum Organics was added, bringing with it a food line for babies and toddlers. 57

These acquisitions helped address another finding of the research: the high priority placed on healthy, fresh food. Consumers were concerned about the levels of sodium and high fructose corn syrup in Campbell’s traditional soups. 58 The trend toward a preference for organic food also influenced the company’s innovation choices. Campbell’s launched an internally developed product, Go Soups, a premium-priced line of soups focused on freshness and packaged not in cans, but in plastic pouches designed to convey that freshness. 59 But Campbell’s has not kicked the can completely, offering its Well Yes! soups in a can, but without artificial ingredients. And Campbell’s Souplicity line uses high-pressure processing, allowing the product to retain its flavor and color without the use of preservatives. 60

This focus on health extends beyond products to education and a unique service offering. Campbell’s now offers a website and app, whatsinmyfood.com, that allows consumers to see details about the ingredients, where the food is sourced, and how it’s made. 61 Even more revolutionary is its acquisition of Habit, a start-up providing personalized diet recommendations. Customers send an at-home nutrition test kit to a certified lab and then receive a personalized diet alongPage 241with coaching from a nutritionist, all based on the consumer’s lifestyle, physiology, and health goals. 62

For a company accustomed to a few innovations each year, the new pace of product development is breathtaking—in one year, they planned to introduce 200 new products. 63 Not all are hits: a kit to make soup in Keurig coffeemakers was abandoned due to disappointing sales. 64 However, to keep pace with the changing priorities of millennials and all its customers, Campbell’s will likely have to keep up this aggressive rate of innovation, using additional acquisitions and continuous R&D to roll out more products and services.


Questions for Consideration

Campbell’s expanded its offerings through both its own R&D and by acquiring other companies and their products. What are the pros and cons of these two options? Which should be Campbell’s focus going forward?


Assista o vídeo: Sopa de pollos y fideos por Chef Rosita (Dezembro 2021).