Receitas de coquetéis, destilados e bares locais

Lagosta rachada de Santana: sem dúvida a melhor refeição do Caribe

Lagosta rachada de Santana: sem dúvida a melhor refeição do Caribe


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

São 12h30 de uma tarde de sábado, mas as praias de areia branca em Williams Town em Little Exuma estão vazias. Todos estão no Santana's, um delicioso bar de frutos do mar ao ar livre na água. Enquanto o chef Dee serve deliciosos camarões fritos e garoupa, a verdadeira atração é a lagosta rachada.

Ao entrar pela primeira vez no bar de madeira, você notará uma música vibrante de estilo caribenho tocando enquanto os habitantes locais dançam e cantam. Do teto acima, as placas do bar e chapéus coloridos pendem para baixo, realçando a atmosfera peculiar do local. O melhor de tudo é que o Santanna's fica bem na praia, então você pode assistir as ondas batendo na areia branca enquanto você come.

Um homem sorridente me traz uma cerveja Kalik gelada e coloca um recipiente de isopor branco para viagem na minha frente. Para quem acha que uma boa refeição deve ser apresentada de uma maneira esteticamente agradável, não julgue um livro pela capa, especialmente ao pedir a lagosta trincada de Santana.

Ao contrário de sua lagosta grelhada usual, este peixe fresco é frito ainda na casca com pedaços oleosos de massa pingando na cama de lentilhas cremosas e arroz em que é servido. A lagosta é surpreendentemente doce, devido ao "molho secreto" da chef Dee (desculpe, tentei tirar dela, mas ela não se mexeu). Ela me disse, porém, que todos os ingredientes são locais e muitos vêm de seu jardim particular.

Embora o arroz tenha gosto de frito, disseram-me que está fervido, com a maioria dos sabores vindo da cebola nativa doce, folha de cebola, sal natural do lago de sal local e pimenta. Ele também tem um contraste deliciosamente doce e salgado que é ainda mais realçado com as laterais de grãos de milho e salada de repolho.

Não faz mal, este restaurante familiar também tem uma "Padaria da Mãe" no local, administrada por ninguém menos que a mãe de Dee. Enquanto eles servem apenas alguns itens - bolo de mármore, bolo de rum de baunilha, bolo de rum de chocolate e um pastel parecido com crepe chamado "recheio de coco" - tudo é feito na hora. Eu pude experimentar isso em primeira mão, pedindo uma fatia decadente de bolo de chocolate e rum. A sobremesa é tirada recém-tirada do forno, antes que a mulher que está trabalhando aqueça um pouco de rum local e o derrame generosamente por cima. Não tenho certeza se era o álcool ou o fato de estar comendo uma guloseima local quente e satisfatória, mas estava bêbado de amor na primeira mordida.

Apesar do fato de Santana parecer um mergulho para diversão, sua natureza vale-tudo permitiu-lhe criar uma cultura onde Dee pode experimentar a sua cozinha e servi-la aos habitantes locais que consideram o seu estabelecimento a sua segunda casa. É uma atração em si. Na verdade, a lagosta trincada de Santana pode não ser apenas a melhor refeição nas Bahamas, mas em todo o Caribe.

Mais da Epicure & Culture:

• Caribe despreocupado: o que é liming?

• Delicie-se com a cultura do chocolate de Santa Lúcia

• Trinidad: a terra dos colibris


Durante minha infância em St. Croix, lembro-me de dezenas de conchas sendo fáceis de encontrar nas águas rasas e protegidas da costa sudeste da ilha. Hoje em dia, eles são muito raros em grande parte do USVI, mesmo com a recente série de limites impostos para combater a pesca predatória.

Outros países do Caribe também não estão imunes ao problema da pesca excessiva. Os EUA proibiram a importação de conchas de vários países caribenhos nos últimos anos, enquanto nas Bahamas, onde a Rainha Concha é o rei, os poderes do monarca são menos do que absolutos atualmente.

Ainda assim, milhões de visitantes caribenhos nunca pensam duas vezes antes de devorar um prato fumegante de concha rachada como o da foto acima, que eu comi no Compass Point em Nassau, algumas semanas atrás.

Talvez as tartarugas recebam mais / melhor pressão.

Talvez personagens fofinhos como esses caras ajudem.

Ou talvez seja & # 8217s porque Queen Conch se parece com isto:

Concha rainha fora da concha via flickr

Não é muito atraente, hein?

A Rainha Concha pode não ser bonita, mas a carne de concha é muito saborosa! Esperançosamente, organizações como a Community Conch terão sucesso em ajudar a conservar a população da Queen Conch para que todos nós possamos comer nossa porção sempre que estivermos nas ilhas. De minha parte, posso dizer que qualquer visita às Bahamas sem provar o sabor da concha rachada simplesmente não pareceria correta.


Conteúdo

Embora vários outros grupos de crustáceos tenham a palavra "lagosta" em seus nomes, o termo não qualificado "lagosta" geralmente se refere às lagostas com garras da família Nephropidae. [3] As lagostas com garras não estão intimamente relacionadas às lagostas espinhosas ou lagostas chinelo, que não têm garras (chelae), ou às lagostas atarracadas. Os parentes vivos mais próximos das lagostas com garras são as lagostas de recife e as três famílias de lagostas de água doce.

Edição de corpo

As lagostas são invertebrados com um exoesqueleto rígido de proteção. [4] Como a maioria dos artrópodes, as lagostas precisam mudar para crescer, o que as deixa vulneráveis. Durante o processo de muda, várias espécies mudam de cor. As lagostas têm oito pernas que andam; os três pares da frente têm garras, sendo que a primeira é maior que as outras. As pinças frontais também são biologicamente consideradas pernas, portanto pertencem à ordem dos Decápodes ("dez pés"). [5] Embora as lagostas sejam em grande parte bilateralmente simétricas como a maioria dos outros artrópodes, alguns gêneros possuem garras especializadas desiguais.

A anatomia da lagosta inclui duas partes principais do corpo: o cefalotórax e o abdômen. O cefalotórax funde a cabeça e o tórax, ambos cobertos por uma carapaça quitinosa. A cabeça da lagosta contém antenas, antênulas, mandíbulas, o primeiro e o segundo maxilares. A cabeça também carrega os olhos compostos (geralmente espreitados). Como as lagostas vivem em ambientes obscuros no fundo do oceano, elas usam principalmente suas antenas como sensores. O olho da lagosta tem uma estrutura reflexiva acima de uma retina convexa. Em contraste, a maioria dos olhos complexos usa concentradores de raios refrativos (lentes) e uma retina côncava. [6] O tórax da lagosta é composto de maxilípedes, apêndices que funcionam principalmente como aparelhos bucais, e pereiópodes, apêndices que servem para caminhar e coletar alimentos. O abdômen inclui pleópodes (também conhecidos como nadadores), utilizado tanto para natação quanto para o leque de cauda, ​​composto pelos urópodes e pelo télson.

Lagostas, como caracóis e aranhas, apresentam sangue azul devido à presença de hemocianina, que contém cobre. [7] Em contraste, vertebrados e muitos outros animais têm sangue vermelho da hemoglobina rica em ferro. As lagostas possuem um hepatopâncreas verde, denominado tomalley pelos chefs, que funciona como o fígado e o pâncreas do animal. [8]

As lagostas da família Nephropidae são semelhantes na forma geral a vários outros grupos relacionados. Eles diferem dos lagostins de água doce por não possuírem a junta entre os dois últimos segmentos do tórax, [9] e eles diferem das lagostas de recife da família Enoplometopidae por terem garras completas nos primeiros três pares de patas, ao invés de apenas um. [9] As distinções de famílias fósseis como os Chilenophoberidae são baseadas no padrão de ranhuras na carapaça. [9]

Edição para colorir

Normalmente, as lagostas são de cor escura, ou verde azulado ou marrom esverdeado para se misturar com o fundo do oceano, mas podem ser encontradas em uma infinidade de cores. [10] [11] Lagostas com coloração atípica são extremamente raras, representando apenas alguns dos milhões capturados a cada ano e, devido à sua raridade, geralmente não são consumidas, sendo devolvidas à natureza ou doadas a aquários. Muitas vezes, em casos de coloração atípica, existe um fator genético, como albinismo ou hermafroditismo. Notavelmente, o Aquário da Nova Inglaterra tem uma coleção dessas lagostas, chamada Lobster Rainbow, em exibição pública. Uma coloração especial não parece afetar o sabor da lagosta depois de cozida, com exceção dos albinos, todas as lagostas possuem astaxantina, que é responsável pela cor vermelha brilhante das lagostas depois de cozidas. [12]

Tabela de cores de lagosta
Cor Prevalência Notas Espécimes notáveis
albino 1 em 100.000.000 [13] Também chamado de cristal fantasma branco translúcido. [14] [15] [16]
"algodão doce" 1 em 100.000.000 [17] Também chamado de pastel. [18] Possivelmente um subtipo de albino. [17]
azul 1 em 1.000.000 [19] a 1 em 2.000.000 [20] [21] [22] Causado por um defeito genético. [19] Lord Stanley (2019, Massachusetts) [21] [22] (2019, St. Louis) [23]
chita 1 em 30.000.000 [24] Eve (2019, Maryland) [25]
laranja 1 em 30.000.000 [26]
cor dividida 1 em 50.000.000 [27] Quase todos os indivíduos de cor dividida são hermafroditas. [14]
"Dia das Bruxas" 1 em 50.000.000 [27] a 1 em 100.000.000 [28] Subtipo de cor dividida, especificamente laranja e preto. [29] Pinchy (2012, Massachusetts) [30]
vermelho 1 em 10.000.000 [29] a 1 em 30.000.000 [31]
amarelo 1 em 30.000.000 [32]

As lagostas vivem cerca de 45 a 50 anos na natureza, embora seja difícil determinar a idade. [33] Em 2012, um relatório foi publicado descrevendo como faixas de crescimento em regiões calcificadas do pedúnculo ocular ou moinho gástrico em camarões, caranguejos e lagostas poderiam ser usadas para medir o crescimento e a mortalidade em crustáceos decápodes. [34] Sem essa técnica, a idade da lagosta é estimada pelo tamanho e outras variáveis. Este novo conhecimento "poderia ajudar os cientistas a entender melhor a população e auxiliar os reguladores da lucrativa indústria". [35]

A pesquisa sugere que as lagostas podem não desacelerar, enfraquecer ou perder a fertilidade com a idade, e que as lagostas mais velhas podem ser mais férteis do que as mais jovens. Essa longevidade pode ser devida à telomerase, uma enzima que repara seções longas e repetitivas de sequências de DNA nas extremidades dos cromossomos, conhecidas como telômeros. A telomerase é expressa pela maioria dos vertebrados durante os estágios embrionários, mas geralmente está ausente nos estágios da vida adulta. [36] No entanto, ao contrário da maioria dos vertebrados, as lagostas expressam telomerase como adultos através da maioria dos tecidos, o que foi sugerido como relacionado à sua longevidade. A telomerase está especialmente presente em lagostas 'Green Spotted' - cujas marcas são pensadas para serem produzidas pela enzima que interage com a pigmentação de sua casca. [37] [38] [39] A longevidade da lagosta é limitada por seu tamanho. A muda requer energia metabólica e quanto maior a lagosta, mais energia é necessária 10 a 15% das lagostas morrem de exaustão durante a muda, enquanto que nas lagostas mais velhas, a muda cessa e o exoesqueleto se degrada ou desmorona inteiramente, levando à morte. [40] [41]

As lagostas, como muitos outros crustáceos decápodes, crescem ao longo da vida e são capazes de adicionar novas células musculares a cada muda. [42] A longevidade da lagosta permite que alcancem tamanhos impressionantes. De acordo com Guinness World Records, a maior lagosta já pescada foi na Nova Escócia, Canadá, pesando 20,15 kg (44,4 lb). [43] [44]

As lagostas vivem em todos os oceanos, em fundos rochosos, arenosos ou lamacentos desde a costa até além da borda da plataforma continental. Eles geralmente vivem sozinhos em fendas ou em tocas sob as rochas. [45]

As lagostas são onívoros e normalmente comem presas vivas, como peixes, moluscos, outros crustáceos, vermes e algumas plantas. Eles vasculham se necessário e são conhecidos por recorrer ao canibalismo em cativeiro. No entanto, quando a pele de lagosta é encontrada em estômagos de lagosta, isso não é necessariamente evidência de canibalismo porque as lagostas comem sua pele após a muda. [46] Enquanto o canibalismo era considerado inexistente entre as populações de lagostas selvagens, ele foi observado em 2012 por pesquisadores que estudavam lagostas selvagens no Maine. Esses primeiros exemplos conhecidos de canibalismo de lagosta na natureza são teoricamente atribuídos a uma explosão populacional local entre lagostas causada pelo desaparecimento de muitos dos predadores naturais das lagostas do Maine. [47]

Em geral, as lagostas têm 25–50 cm (10–20 pol.) De comprimento e se movem caminhando lentamente no fundo do mar. No entanto, quando fogem, nadam para trás rapidamente, curvando e desenrolando seus abdomens. Uma velocidade de 5 m / s (11 mph) foi registrada. [48] ​​Isso é conhecido como reação de escape caridóide.

Animais simbióticos do gênero Symbion, o único membro conhecido do filo Cycliophora, vive exclusivamente nas guelras e aparelhos bucais da lagosta. [49] Diferentes espécies de Symbion foram encontrados nas três lagostas comercialmente importantes do Oceano Atlântico Norte: Nephrops norvegicus, Homarus gammarus, e Homarus americanus. [49]

A lagosta é comumente servida cozida ou cozida no vapor com casca. Os comensais quebram a casca com biscoitos de lagosta e pescam a carne com palitos de lagosta. A carne costuma ser comida com manteiga derretida e suco de limão. A lagosta também é usada em sopas, bisque, rolos de lagosta, cappon magro, e pratos como lagosta Newberg e lagosta Thermidor.

Cozinheiros ferver ou cozinhar lagostas vivas. Quando uma lagosta é cozida, a cor de sua casca muda de azul para laranja porque o calor do cozimento quebra uma proteína chamada crustacianina, que suprime o tom alaranjado da astaxantina química, que também é encontrada na casca. [50]

De acordo com a Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos, o nível médio de mercúrio na lagosta americana entre 2005 e 2007 foi de 0,107 ppm. [51]

Edição de História

A lagosta é comida pelo homem desde o período pré-histórico. Grandes pilhas de cascas de lagosta perto de áreas povoadas por comunidades de pescadores atestam a extrema popularidade do crustáceo durante este período. As evidências indicam que a lagosta era consumida como um produto alimentar regular em comunidades pesqueiras ao longo da costa da Grã-Bretanha, África do Sul, Austrália e Papua-Nova Guiné já em 100.000 anos atrás. Durante a idade da pedra, a lagosta tornou-se uma fonte significativa de nutrientes entre os habitantes costeiros europeus. Os historiadores sugerem que a lagosta era uma importante fonte secundária de alimento para a maioria dos habitantes costeiros europeus e que era uma fonte primária de alimento para as comunidades costeiras da Grã-Bretanha durante esse tempo. [52]

Durante o período romano médio a tardio, a lagosta tornou-se uma iguaria popular de gama média. O preço da lagosta pode variar amplamente devido a uma variedade de fatores, mas as evidências indicam que a lagosta era transportada regularmente para o interior por longas distâncias para atender à demanda popular. Um mosaico encontrado nas ruínas de Pompéia sugere que a lagosta espinhosa era de considerável interesse para a população romana durante o início do período imperial. [53]

A lagosta era um alimento popular entre o povo Moche do Peru durante o período entre 50 EC e 800 EC. Além de seu uso como alimento, as cascas de lagosta também eram usadas para criar uma tintura rosa claro, enfeites e ferramentas. Um navio com efígie em forma de lagosta, produzido em massa, datado desse período, atesta a popularidade da lagosta nessa época, embora o propósito deste navio não tenha sido identificado. [54]

O período Viking viu um aumento do consumo de lagosta e outros moluscos entre os europeus do norte. Isso pode ser atribuído ao aumento geral da atividade marinha nesta época devido ao desenvolvimento de melhores barcos e ao crescente investimento cultural na construção de navios e no treinamento de marinheiros. O consumo de vida marinha aumentou globalmente neste período, e o consumo de lagosta aumentou de acordo com esta tendência geral. [55]

Ao contrário do peixe, no entanto, a lagosta precisava ser cozida dois dias depois de sair da água salgada, limitando a disponibilidade da lagosta para os habitantes do interior. Assim, a lagosta, mais do que o peixe, tornou-se um alimento disponível principalmente para os relativamente abastados, pelo menos entre os habitantes não costeiros. [56]

A lagosta é mencionada pela primeira vez em livros de receitas durante o período medieval. Le Viandier de Taillevent, uma coleção de receitas francesas escrita por volta de 1300, sugere que a lagosta (também chamada de lagosta de água salgada) seja “cozida em vinho e água, ou no forno comida em vinagre”. [57] Le Viandier de Taillevent é considerado um dos primeiros livros de receitas da “haut cuisine”, dando conselhos sobre como preparar refeições que seriam bastante elaboradas para a época e utilizando ingredientes caros e de difícil obtenção. Embora a edição original, que inclui a receita da lagosta, tenha sido publicada antes do nascimento do cozinheiro da corte francês Guillaume Tirel, Tirel posteriormente expandiu e republicou essa coleção de receitas, sugerindo que as receitas incluídas em ambas as edições eram populares entre os mais altos círculos da nobreza francesa, incluindo Rei Filipe VI. [58] A inclusão de uma receita de lagosta neste livro de receitas, especialmente uma que não faça uso de outros ingredientes mais caros, atesta a popularidade da lagosta entre os ricos.

O guia doméstico francês Le Ménagier de Paris, publicado em 1393, inclui nada menos que cinco receitas, incluindo lagosta, que variam na elaboração. [59] Um guia destinado a fornecer conselhos para mulheres que administram famílias de classe alta, Le Ménagier de Paris é semelhante ao seu antecessor no sentido de que indica a popularidade da lagosta como alimento entre as classes superiores. [60]

O fato de a lagosta ter sido mencionada pela primeira vez em livros de receitas durante os anos 1300 e que só é mencionada em dois durante este século não deve ser interpretada como uma implicação de que a lagosta não era amplamente consumida antes ou durante essa época. As coleções de receitas eram virtualmente inexistentes antes de 1300, e apenas algumas existiam para o período medieval como um todo.

Durante o início de 1400, a lagosta ainda era um prato popular entre as classes altas. Durante esse tempo, famílias influentes usavam a variedade e variação de espécies servidas em festas para exibir riqueza e prestígio. A lagosta era comumente encontrada entre esses spreads, indicando que ela continuava sendo muito apreciada pelos ricos. Em um exemplo notável, o bispo de Salisbury ofereceu pelo menos 42 tipos de crustáceos e peixes em suas festas durante um período de nove meses, incluindo várias variedades de lagosta. No entanto, a lagosta não era um alimento acessado exclusivamente pelos ricos. A população em geral que vivia nas costas fazia uso das várias fontes de alimento fornecidas pelo oceano, e especialmente os crustáceos tornaram-se uma fonte de nutrição mais popular. Entre a população em geral, a lagosta costumava ser comida cozida em meados do século 15, mas a influência da culinária da alta sociedade pode ser observada no fato de que agora também era comida regularmente fria com vinagre. O campesinato do interior ainda não estava familiarizado com a lagosta nessa época. [61]

A lagosta continuou a ser consumida como iguaria e alimento básico geral entre as comunidades costeiras até o final do século XVII. Durante este tempo, a influência da Igreja e do governo regulando e às vezes proibindo o consumo de carne durante certos períodos continuou a encorajar a popularidade dos frutos do mar e especialmente do marisco como uma alternativa de carne entre todas as classes. Ao longo desse período, a lagosta era comida fresca, em conserva e salgada. Do final do século 17 em diante, os desenvolvimentos na pesca, transporte e tecnologia de cozimento permitiram que a lagosta fizesse seu caminho para o interior com mais facilidade, e a variedade de pratos envolvendo a lagosta e as técnicas de cozimento usadas com o ingrediente se expandiram. [62] No entanto, esses desenvolvimentos coincidiram com uma diminuição na população de lagostas, e a lagosta tornou-se cada vez mais um alimento delicado, valorizado entre os ricos como um símbolo de status e menos provável de ser encontrado na dieta da população em geral. [63]

Na América do Norte, a lagosta americana não era originalmente popular entre os colonos europeus. Isso se deveu em parte à associação européia da lagosta com frutos do mar salgados pouco comestíveis e, em parte, a uma opinião cultural de que os frutos do mar eram uma alternativa menor à carne, que não fornecia o sabor ou os nutrientes desejados. Isso também se deveu à extrema abundância de lagosta na época da chegada dos colonos, o que contribuiu para uma percepção geral da lagosta como um alimento camponês indesejável. [64] A lagosta americana não alcançou popularidade até meados do século 19, quando nova-iorquinos e bostonianos desenvolveram um gosto por ela, e a pesca comercial de lagosta só floresceu após o desenvolvimento da lagosta smack, [65] um barco feito sob encomenda com poços de retenção abertos no convés para manter as lagostas vivas durante o transporte. [66]

Antes dessa época, a lagosta era considerada um alimento pobre ou como alimento para servos contratados ou membros inferiores da sociedade no Maine, Massachusetts e nos maritimos canadenses. Alguns empregados especificaram em contratos de trabalho que não comeriam lagosta mais do que duas vezes por semana, [67] no entanto, há evidências limitadas para isso. [68] [69] Lagosta também era comumente servida nas prisões, para desgosto dos presos. [70] A lagosta americana foi inicialmente considerada digna apenas de ser usada como fertilizante ou isca para peixes e, até meados do século 20, não era vista como mais do que um alimento básico enlatado de baixo custo. [71]

Como um crustáceo, a lagosta continua sendo um alimento tabu nas leis dietéticas do Judaísmo e em certas correntes do Islã. [nota 1] [72]

Edição de classificação

As lagostas pescadas são classificadas como de casca nova, dura ou velha e, como as lagostas que perderam a casca recentemente são as mais delicadas, existe uma relação inversa entre o preço da lagosta americana e seu sabor. Lagostas com casca nova têm cascas finas como papel e uma proporção pior de carne para casca, mas a carne é muito doce. No entanto, as lagostas são tão delicadas que mesmo o transporte para Boston quase as mata, tornando o mercado para lagostas de casca nova estritamente local para as cidades pesqueiras onde são descarregadas. Lagostas de casca dura com cascas firmes, mas com menos carne doce, podem sobreviver ao embarque para Boston, Nova York e até Los Angeles, portanto alcançam um preço mais alto do que as lagostas de casca nova. Enquanto isso, as lagostas de casca velha, que não soltam desde a safra anterior e têm um sabor mais grosso, podem ser transportadas por avião para qualquer lugar do mundo e chegar vivas, o que as torna as mais caras.

Métodos de matança e bem-estar animal Editar

Vários métodos são usados ​​para matar lagostas. A forma mais comum de matar lagostas é colocá-las vivas em água fervente, às vezes após terem sido colocadas no freezer por um período de tempo. Outro método é dividir a lagosta ou cortar o corpo ao meio no sentido do comprimento. As lagostas também podem ser mortas ou imobilizadas imediatamente antes de serem fervidas por uma facada no cérebro (medula), na crença de que isso irá parar de sofrer. No entanto, o cérebro de uma lagosta opera não a partir de um, mas de vários gânglios, e a incapacidade apenas do gânglio frontal geralmente não resulta em morte. [73] O método de fervura é ilegal em alguns lugares, como em Reggio Emilia, Itália, onde os infratores enfrentam multas de até € 495. [74] Lagostas podem ser mortas por eletrocussão antes do cozimento, com um dispositivo, o CrustaStun, aplicando uma carga elétrica de 110 volts, 2 a 5 amperes ao animal. [75] O governo suíço proibiu a fervura da lagosta viva sem atordoá-la primeiro. [76] Desde março de 2018, as lagostas na Suíça precisam ser eliminadas, ou mortas instantaneamente, antes de serem preparadas. Eles também recebem outras proteções durante o trânsito. [77] [78]

Os métodos de matar com maior probabilidade de causar dor e angústia são: [73]

  • Quaisquer procedimentos em que o abdômen seja separado do tórax
  • A remoção de tecido, carne ou membros enquanto o crustáceo está vivo e totalmente consciente
  • Colocando crustáceos em água aquecida lentamente até o ponto de ebulição
  • Colocando crustáceos diretamente em água fervente
  • Colocando crustáceos marinhos em água doce
  • Microondas desfocado do corpo em oposição à aplicação focal na cabeça

As lagostas são capturadas usando armadilhas unilaterais com uma bóia de marcação com código de cores para marcar as gaiolas. A lagosta é pescada em água entre 2 e 900 metros (1 e 500 braças), embora algumas lagostas vivam a 3.700 metros (2.000 braças). As gaiolas são de aço galvanizado revestido de plástico ou madeira. Um pescador de lagosta pode criar até 2.000 armadilhas.

Por volta do ano 2000, devido à sobrepesca e alta demanda, a aquicultura de lagosta se expandiu. [79] No entanto, a partir de 2008, nenhuma operação de aquicultura de lagosta alcançou sucesso comercial, principalmente por causa da tendência das lagostas para o canibalismo e o crescimento lento da espécie. [80]


Lagosta rachada de Santana: sem dúvida a melhor refeição do Caribe - receitas

Você terá que decidir por si mesmo, mas todos com quem falei depois do jantar afirmaram que era a melhor lagosta que já comeram! Nós se hospedaram no Anegada Beach Club e eles forneceram transporte aqui - que foi um dos destaques de nossa estadia. Excelente localização à beira-mar no cais da balsa. Um verdadeiro charme e bebidas caribenhas descontraídas - o que mais se pode pedir?

Obrigado pelo voto! Concordamos que a localização e a atmosfera são ideais. Estamos felizes que você amou a lagosta e a compartilhou com o mundo. Até a próxima viagem!

53 - 57 do 164 avaliações

fizemos este lugar uma parada durante o evento na semana passada, estava lotado, mas isso era de se esperar no fim de semana de negócios do ano. Este é um lugar elegante à beira-mar e é um dos restaurantes mais bem equipados da ilha. É propriedade das mesmas pessoas que têm o Anegada Beach Club (ABC), então você sabe que deve ser um lugar muito bom para se visitar.

Obrigado pela bela revisão! Esperamos vê-lo novamente, agora que as coisas se acalmaram após o Lobsterfest.

Foi recomendado a armadilha de lagosta por um barman local. Bem, a lagosta parece ser lagosta grande em vez de lagosta, pois não havia garras

Eu pedi uma lagosta inteira e reanimei 3 meias lagostas, pois elas foram consideradas menores do que o normal. Eu pensei que eles eram de tamanho decente aqueles que pediram metade receberam 2 metades.

Eles eram saborosos e mais macios do que eu esperava. Arroz e cenouras foram servidos com a refeição.

O serviço foi bom também.

Obrigado pela boa revisão. Na verdade, são lagostas. Panulirus argus, a lagosta espinhosa do Caribe, é uma espécie de lagosta que vive em recifes e manguezais no oeste do Oceano Atlântico. É um dos maiores crustáceos do Mar do Caribe. Junto com verdadeiros caranguejos, camarões e outras lagostas, a lagosta espinhosa do Caribe é um decápode que tem dez patas. Apenas um pequeno pedaço de informação! Estamos felizes que você tenha gostado da comida e do serviço e esperamos vê-lo novamente!


ЖѦґ mundo

E
com o casamento de sua personagem com Del (Michael Chiklis) em frangalhos, um
cena com seu filho (Evan Peters) terminando em derramamento de sangue e um potencial novo
colega de quarto em Ethel (Kathy Bates), atriz Angela Basset teve as mãos tão ocupadas quanto o sutiã nesta temporada.

Nós
aprendi alguns petiscos interessantes "AHS" do homem de 56 anos durante um
conferência de imprensa recente para o show - onde ela falou sobre ela
transformação física, Twisty the Clown's revelação chocante e endereçada Ryan Murphy afirmação de que todas as quatro temporadas do show estão "conectadas".

Continue lendo para as maiores conclusões!

1.) Seu personagem foi uma surpresa completa

Angela diz que assinou com "Freak Show" sem conhecer os interessantes traços físicos de sua personagem.

"EU
não tinha a menor ideia de qual poderia ser a parte, o que poderia ser
englobar quando eu assinei. Eu só sabia que me diverti muito no passado
ano e se isso fosse qualquer indicação, seria um passeio selvagem. eu
acho que foi cerca de duas semanas antes de eu começar a filmar
que eu peguei o script do hot-off-the-presses, então me sentei para lê-lo.
você lê a direção do palco, 'Mulher afro-americana na casa dos 40 anos,
hermafrodita, três seios e um ding-a-ling. Eu pensei 'ai meu Deus'
e imediatamente fechou a página para percorrer e processar que um
minuto. Eu só sabia que seria absolutamente algo que eu tinha
nunca feito antes e o que um ator anseia, mas novos desafios e
este ia ser um daqueles. "

2.) A transformação leva cerca de uma hora

Brotando
aquele terceiro seio não é fácil e requer uma equipe de maquiagens e especiais
artistas de efeitos para aplicá-lo a qualquer hora que Angela se apresentar ao trabalho.

Primeiro,
um maquiador coloca o aparelho. Então, ela vai para outro
trailer para os caras dos efeitos especiais, certifique-se de que as bordas estejam limpas
antes de pintá-lo para se misturar. Eles então tiram fotos dele para ver como
parece na câmera.

"Demora, talvez do início ao fim, cerca de
uma hora. Tempo suficiente para conferir um episódio da Netflix de 'Orange Is
o novo preto '", diz Ângela.

Um longo dia no set pode causar um sério desconforto para Bassett.

"Depois de
12 horas, você começa a coçar, começa a suar e não consegue
produza alívio porque você não pode chegar a si mesmo, você está se coçando
espuma ", diz ela.

Ainda assim, é melhor do que o pedaço de silicone que eles experimentaram nela no início.

"Começou bem, mas começou a ficar quente e pesado e acredito que começou a ceder. Qual é o sentido de ter três seios caídos ?! ", diz ela." A diferença é noite e dia. "

3.) Essa cena de sexo foi estranha, mas não pelo motivo que você esperava.

Sobre
o episódio da semana passada, o personagem de Evan Peters teve um colapso, começou
beijando Desiree e depois usou suas mãos de lagosta nela. lá em baixo. Os dois ficaram quentes e pesados ​​até que ela começou a sangrar.

Era desconfortável assistir, mas como foi filmar?

"Bem, não muito estranho. Ele é
um menino fofo ", diz Ângela." Você está interpretando personagens e ele
bastante profissional. Acho que a parte mais estranha de tudo é que ele era tão
emocional, apenas lágrimas e coisas saindo das narinas. eu penso
essa foi a parte mais estranha, mas sexualmente não era. "

4.) O momento que a deixou triste

Não, não foi a morte de Meep.

"Quando
[Twisty] tirou a máscara e viu onde ele colocou uma arma e atirou pela metade
a cara dele, com a forma como os pequenos o tratavam, que rejeitava
ele para fazer isso. Eu não gostei disso ", Bassett revela." Esse tipo de
Me assustou, como as pessoas tratam umas às outras. Ele é inocente em seu
mente, então tirar vantagem disso foi muito para mim. Isso foi muito
triste."

5.) Os atores não têm voz no set

Quando
perguntou se ela achava que Desiree e Ethel (Kathy Bates) se tornariam
amigos, Ângela revelou que não tem ideia do que os escritores têm
planejado . e eles têm muito pouco a dizer sobre o que acontece a seguir.

"Nós
realmente não sei o que está por vir nos episódios ou scripts subsequentes.
Esse é o aspecto que torna um pouco difícil ou
frustrante para nós. Não temos informações, mas podemos ter influência, "
ela diz. "Jogamos como bons amigos, por isso continua a ser
visto. Talvez eles vejam isso na sala dos roteiristas e isso os leve
por um caminho diferente do que eles haviam previsto. Isso pode e faz e
já aconteceu no passado, então veremos. "

Nós realmente esperamos por algumas situações de "Odd Couple" companheiros de quarto entre esses dois!

6.) Existem alguns palhaços reais no set

Entre
toda a loucura, sangue e sangue coagulado no show, os atores ainda sabem
como se divertir - e alguns deles realmente racham Angela.

"Sarah Paulson
pode me fazer rir muito fácil e também pode Gaby [Sidibe] quando ela está
por aí. Eu não tive a oportunidade de passar nenhum tempo com ela neste
ano ", diz Ângela." Mas Sarah é muito engraçada para mim e Michael
[Chiklis] é alegre e Emma [Roberts] é bem maluca. Último
noite, era ela e eu até a meia-noite ao ar livre no frio e ela estava
muito engraçado."

7.) Ela não tem noção das conexões

Ryan Murphy revelou recentemente que todas as quatro temporadas do show estão conectadas.

"Eles & # 8217 são
todos muito separados, mas há pistas a cada temporada que agora estamos contando
você como os diferentes mundos estão interligados ", disse ele ai credo mês passado.

Candice Brock do toofab perguntou a Ângela se ela tinha alguma ideia de como Desiree Dupree ou Marie Laveau might be connected in the grand scheme of things -- and that was clearly news to her!

"Not
one, nor have I considered it," she said with a laugh. "The only
connection I was able to make is Pepper from Season 2 to Season 4, but
no I haven't thought about that but it gives me something to thought
about," she says. "Sounds like a great college term paper to me!"


Maine Lobster Tails: Boiling Is Best

To get consistently perfect results in cooking lobster tails, the best way is to boil your tails in water. Leve uma panela com água para ferver. Reduce heat to a soft boil and add sea salt. Drop the tails in one at a time and set your timer. Review the average cooking times based on the tail quantity and size.

Another recipe for cooking delicious lobster tails involves broiling them. Follow these easy steps:

  • Preheat your broiler.
  • Arrange lobster tails on your pan.
  • Cut lobster shells lengthwise along the top with a sharp knife or kitchen shears.
  • Pull shells slightly apart.
  • Season with paprika, salt, butter and white pepper.
  • Broil about 5-10 minutes until meat is opaque and tails are lightly browned.
  • Sirva com rodelas de limão.

To make “exploding tails” you’ll need to boil the tail first for about 3 minutes. Then, cut the tail lengthwise through the top of the lobster shell. Brush lemon and butter on the meat and bake in the oven on 425 F for 3-4 minutes.

For specific instructions on cooking lobster tails, check out our resources below!

Lobster Soups and Sandwiches

Sandwiches are a great option for a casual gathering, and soups are an easy and tasty addition to any meal. Maine Lobster Now has lobster bisque and lobster stew as well as lobster roll packs you can order directly from us. That way you can get right to eating when the food arrives at your home.

Creating your own dishes is also fun, though. Try these recipes for your fresh lobster meat:

Bisque is a rich, creamy dish and a little goes a long way in satisfying your hunger. This simple recipe takes about 40 minutes to complete and involves processing the ingredients in a blender and then cooking over low heat. Bisque is a versatile dish that can be a start to your meal, or it can be the entrée when paired with a salad and bread.

Ingredientes:

  • ½ pound Maine Lobster Now meat
  • 1/4 cup mushrooms, chopped
  • 2 tablespoons carrot, chopped
  • 2 tablespoons celery, chopped
  • 2 tablespoons onion, chopped
  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • 1 can chicken broth (usually 14.5 ounces)
  • 1/8 colher de chá de sal
  • 1/8 colher de chá de pimenta caiena
  • 1½ cups half-and-half
  • ½ xícara de vinho branco seco

In a large pan, melt butter over low heat. Add all vegetables and cook until soft. Stir in the broth, cayenne and salt. Bring to a boil, then simmer.

After simmering 10 minutes, pour the hot liquid and vegetable mix into a blender and add one-fourth cup of lobster meat. Misture até ficar homogêneo. Pour the blended mixture into the pan. Stir in remaining lobster meat, wine and half-and-half. Once all ingredients are mixed, stir frequently over low heat. It’ll take about 30 minutes for the bisque to thicken.

You can vary bisque in several ways — some bisque recipes call for tomato and tomato paste, among other liquors — but most will have your standard soup base of celery, onions and carrots. Nom nom.

This lobster stew recipe uses four fresh lobsters, heavy cream, butter and milk. Making it a day in advance enhances the flavor. Stew is also a great dish to enjoy all year long, rather than just in the colder months.

Ingredientes:

  • 4 live lobsters
  • 1 quart whole milk
  • 1 litro de creme de leite
  • 6-8 tablespoons butter
  • Sal e pimenta

Boil lobsters for 18-20 minutes. Set lobsters aside to cool and reserve the juices.

Remove the meat, tomalley and roe from the lobsters. Sauté the roe and tomalley in about two tablespoons of butter in a pot. Do this for a few minutes. Add some of the lobster meat and more butter into the pot. Continue adding butter and meat until everything has been sautéed for about five minutes.

Add cream, the reserved lobster juice, and the milk. Simmer on low heat, uncovered, for up to two hours — don’t let it boil. Depending on your flavor preferences, add pepper and salt to taste. Defer on less of both if you’re serving to guests who would rather season to their liking.

Mixing lobster meat with celery, lemon juice, chives and mayonnaise is the basis for creating the filling for this lobster roll recipe. This sandwich is a crowd-pleaser and is served at many restaurants along the coast of Maine. Maine Lobster Now even supplies local Maine restaurants with lobster rolls to serve at their businesses!

Ingredientes:

  • 3 1½-pound live lobsters
  • 1 tablespoon fresh chives, chopped
  • 1 celery finely chopped celery stalk
  • 3 tablespoons of mayonnaise
  • 6 New England-style split-top buns
  • 2 tablespoons room temperature unsalted butter
  • 2 colheres de sopa de suco de limão fresco
  • Pimenta do reino moída na hora
  • Sal

Fill a large pot with one inch of water, salt water and bring to a boil. Add lobsters. Cover the pot and cook for ten minutes. Put lobsters aside to cool.

Once cooled, crack those lobster shells. You’ll want to pick the meat from the tail and claws, cutting it into half-inch pieces. Mix lobster, lemon juice, celery, chives and about two tablespoons of the mayonnaise in a medium bowl. Season with pepper and salt. If you desire more mayonnaise, add more.

To toast the buns, use a large skillet over medium heat. Spread butter on each bun, place them butter-side down in the pan, and cook until golden — about two minutes. Fill bread with your yummy lobster mixture — and get your chow on.

LOBSTER GRILLED CHEESE SANDWHICH

Havarti cheese blends wonderfully with the flavor or lobster meat to create this twist on the classic grilled cheese sandwich. Make each sandwich with sourdough bread and about a quarter pound of lobster meat.

Ingredientes:

Heat a frying pan over medium heat. Spread mayonnaise on the outside of your bread slices and place mayonnaise-side down in the frying pan.

Layer two slices of cheese, lobster meat and another two slices of Havarti on the bread. Tempere com sal. Place the other slice of bread on top, and alternate sides, grilling the sandwich until the bread is golden brown on both sides.

Lobsta’ Pasta

There are so many possibilities for dinner when it comes to pasta. You may choose to make the pasta from scratch or use prepared pasta as a complement to your delicious sauces and fillings — and, of course, lobster. Try one of these delightful lobster pasta dishes:

Lobster and butter have always made a great pair, and this recipe calls for brown butter, which takes the flavor up a notch. This ravioli is filled with brown butter, lobster, shrimp and ricotta cheese.

Ingredientes:

  • 3 lobster tails
  • 1/4 pound shrimp, uncooked, deveined and peeled
  • 1 pound fresh pasta dough, rolled into lasagna sheets
  • 1 cup ricotta cheese
  • 1/4 cup freshly-chopped parsley
  • 1 teaspoon lemon juice
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 4 dentes de alho picados
  • 1/4 cup freshly grated parmesan cheese
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • Sal e pimenta a gosto
  • Optional: 1 teaspoon crushed red pepper flakes

Prepare the pasta dough: Rolling dough into lasagna sheets. Once completed, cover and set aside.

Prepare the pasta filling: Cut through the top of the lobster tail shell lengthwise with a knife or kitchen shears. Pull the meat away from the shells. Use a large pot of water to steam the shrimp and lobster tails for about seven minutes. Once steamed, remove meat and set aside to cool. You’ll finely chop the meat once it’s completely cooled.

Melt butter over medium heat in a small saucepan. After about two minutes of stirring, brown bits will appear on the pan bottom. Immediately remove from heat and whisk briskly for another 30 seconds.

Add the garlic, lemon juice, parsley, salt and pepper — plus the crushed pepper flakes if you prefer them. Stir in the lobster and shrimp. Mix in the ricotta cheese. Breathe in the yumminess. Set the filling aside.

Prepare the ravioli: Heavily flour your ravioli mold or counter, and lay one sheet of pasta on top of the heavily floured surface. Place about a tablespoon of filling into each ravioli well. Use water to spritz the pasta so the layers stick. Put second pasta sheet on the first, then seal with a rolling pin. Use a pizza cutter to cut ravioli squares apart. Lay each ravioli on a parchment-paper-lined baking sheet. Keep making ravioli until all your lobster filling is gone.

Prepare for deliciousness: Bring a large pot of salted water to a boil. Cook the ravioli in the boiling water until it floats — should take about two minutes. Remove from water with a slotted spoon, and enjoy with your favorite pasta sauce. Add fresh parsley and grated parmesan cheese to taste.

LOBSTER MACARONI AND CHEESE

Macaroni and cheese has a long-lived reputation of being a comfort food. An easy way to upgrade this popular dish to add lobster.

Ingredientes:

  • 1 pound of Maine Lobster Now meat
  • 1 pound boxed macaroni pasta
  • 1/2 cup all-purpose flour, or as needed
  • 1 cup vegetable or fish stock
  • 1/2 xícara de creme de leite
  • 2 tablespoons grape seed oil
  • 1/2 xícara de manteiga
  • 2 cloves chopped garlic
  • 2 folhas de louro
  • 1 cup chopped white onion
  • 1/4 cup chopped fresh chives
  • 2 cups sharp shredded cheddar cheese
  • White pepper
  • Sal
  • 2-3 tablespoons white truffle oil

Boil water for the pasta. Pasta should be cooked after 8-10 minutes. Drain well — any excess water can dilute the flavor in the final dish.

While the pasta is cooking, add oil to a separate pan and cook lobster meat — you’ll know it’s done when it’s no longer translucent. Deixou de lado.

In another large saucepan, melt butter and add garlic and onion. Be careful not to burn it. Once translucent, add flour gradually. Some flour absorbs more than others, so you may not need much. Mix in the bay leaves.

To form a smooth sauce, add the stock a little at a time. Allow 10 minutes to simmer, then take out the bay leaves. Now it’s time for the cheddar and heavy cream, as well as white pepper and salt. Add the lobster meat to your delicious cheese mixture, then stir in your pasta. Add as much pasta as you need to give it the right balance of pasta to cheesy goodness.

Pick your favorite serving bowl, drizzle the truffle oil on top and garnish with chives. Looks good enough to eat!

Creating an elegant meal in about 20 minutes that will both impress and delight your dinner guests is a winning formula. This recipe for linguine with chives and tomatoes makes the lobster shine.

Ingredientes:

  • 2 live 1-pound lobsters
  • 3 chopped tomatoes
  • Linguine
  • 1/2 small, finely-diced onion
  • 2 dentes de alho
  • 1 colher de sopa de azeite de oliva extra-virgem
  • Fresh chives, chopped
  • Sal a gosto

Fill a large pot with water and bring to a boil. Put the lobsters headfirst into the pot and cook, uncovered, for five minutes. Take the lobsters out to cool, but save the water.

Pull the meat from the tail, and cut into small pieces. Remove the lobster meat from the claws and set aside. Combine other ingredients in a saucepan — garlic, tomatoes, olive oil, onion and one-half cup of the lobster cooking water. Season with salt and bring the mix to a boil. Reduce the heat to a simmer and cook for about five minutes. Retire do fogo.

Add salt to the cooking water from the lobsters. You’ll reuse this to cook the linguine and pick up the flavor. When the pasta is almost done, add the tomato paste. The pasta should absorb most of the liquid, but don’t cook it too long or the pasta won’t be al dente. Remove from heat and mix in the lobster meat. Sprinkle with chives.

If you weren’t hungry before, you should be now!

Bacon, Cajun spices and cheese blend together to create this dish with a bit of a spicy kick.

Ingredientes:

  • 1 pound of Maine Lobster Now meat
  • 3 strips bacon
  • 3 dentes de alho picados
  • 1 bell pepper, chopped
  • 3 cebolas verdes picadas
  • 3/4 cup chicken or vegetable broth
  • 1 teaspoon cajun spice
  • 1 teaspoon Old Bay seasoning
  • 1/2 colher de chá de cebola em pó
  • 1/2 colher de chá de alho em pó
  • 1/2 teaspoon lemon pepper
  • 1/2 teaspoon oregano
  • 1/4 xícara de creme de leite
  • Sal e pimenta a gosto

Fry bacon in a pan over medium heat. Remove the bacon and drain off the fat. Put a tablespoon of the fat to the side.

Add the garlic and pepper to a pan and cook on medium heat for about three minutes, then add in the green onions and cook for another minute.

Chop the bacon and add it to the pan. Add all the spices to the pan and turn the heat down to medium low. Add the lobster and heat for three minutes, then add the heavy cream.

Serve lobster sauce over pasta with optional parmesan cheese and scallions on top.

Whole Lobster

Preparing whole lobsters will present you with many opportunities for your meal. In New England, friends and families regularly come together to feast on lobster and it’s common that these gatherings take place outdoors when the weather is nice.

Here are some recipe ideas for your next whole lobster shindig:

A lobster bake is a combination of live lobsters, corn, potatoes, seasonings and, sometimes, other seafood, all cooked together. The flavors from each of the foods in the pot mesh together to create one harmonious blend.

Ingredientes:

  • 4 1-pound live lobsters
  • 1 pound of steamer clams
  • 8 small red potatoes
  • 2 ears shucked corn, cut in half
  • 2 tablespoons freshly ground black pepper
  • 1/4 xícara de manteiga sem sal
  • 2 colheres de sopa de suco de limão fresco

Rinse clams and place in a large bowl. Cover with cold water and set aside 30 minutes, drain and rinse.

Add two inches of water to a large pot and bring to a boil. Add potatoes and corn. Steam covered for five minutes.

Add lobsters headfirst. Then add the clams. Steam, covered, for about 5 minutes. Combine butter and lemon juice in a pan and cook over low heat until butter melts.

Place lobster, clams, corn and potatoes on plates and cover broth from the pot into a bowl for dipping clams. Serve with butter mixture.

GRILLED LOBSTER WITH GARLIC AND PARSELY

This grilled lobster with garlic-parsley butter doesn’t require many ingredients, and it is still packed with flavor.

Ingredientes:

  • 1½ pounds of live lobster
  • 4 cloves finely chopped garlic, finely chopped
  • 2 tablespoons parsley, finely chopped
  • 1½ teaspoons crushed red pepper
  • 8 tablespoons softened butter
  • 1/4 xícara de azeite
  • Lemon zest
  • Salt and black pepper to taste

Mix garlic, parsley, red pepper, butter, lemon, salt and black pepper in a bowl.

Split the lobster in half lengthwise from the head to the tail. Remove the tomalley but leave the meat in the shell, and break off the claws. Place the lobster pieces on a baking sheet with meat facing upward.

Place the claws on the baking sheet. Drizzle all the lobster with olive oil and sprinkle the salt and black pepper.

Heat your grill and place the lobster, with the meat touching the grill, on the hottest part of the grill. Cook for about three minutes.

Spread the butter mixture on the lobster meat then grill for another three to five minutes. Eat and enjoy.

This recipe is a classic combination of lobster and seasoned stuffing. Is your mouth watering yet?

Ingredientes:

Stuffing Ingredients:

  • 3 ounces chopped haddock
  • 2 scallops, quartered
  • 1 ounce lobster meat
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 1 cup crackers, crumbled
  • Lemon juice, for seasoning
  • White wine, for seasoning
  • Salt and freshly ground black pepper to taste

Prep the lobster: Preheat the oven to 450 F. Bring a little water to boil in a large pot. Cut open the lobster by splitting the belly from head to tail with your knife. Remove the guts and heart, but not the meat. Steam the lobsters in the pot for 7-10 minutes. Remove and let cool.

Make the stuffing: Melt butter a medium saucepan over medium heat. Add all the seafood and saute until tender, about 3 to 5 minutes. Remove from heat and allow to cool. Mix in the crackers, and add lemon juice, wine, and salt and pepper, to taste.

Stuff the lobster: Stuff the lobster’s opening with stuffing. Place the now stuffed lobster belly-side-up in a roasting pan. Add some water to the bottom of the pan to keep the lobster moist while cooking. Squirt the stuffed lobster bodies with the lemon juice and bake for 7 to 10 minutes, or just until the claws begin to split. Do not allow the lobster to dry out.

Delicious lobster recipes can be found all over. Check out two more of our own: Father’s Day Lobster Cobb for those who want to keep things simple and clean, and Lobster and Scallop Scampi for those who want a warm dish to cozy up with.


Resumo da receita

  • Sal grosso
  • 8 lobsters (1 1/2 to 1 3/4 pounds each)
  • 8 ounces (1 cup) unsalted butter
  • Rodelas de limão para servir

Bring 12 cups cold water and 2 tablespoons salt to a boil in a lobster pot or large, wide stockpot.

Pick up each lobster firmly, holding the back of the body behind the claws. Add 2 to 4 lobsters to pot they should fit snugly, but not be stacked. Cover, and cook for 18 minutes. Remove, and repeat with remaining lobsters. Let cool slightly before cracking and removing meat, about 10 minutes.

Heat butter in a small saucepan over low heat. Cook, skimming solids that rise to surface. Season with salt, then pour into small ramekins or a large dish, leaving behind any solids on the bottom a clear, golden liquid will be left. Keep butter warm.

Place 1 lobster on a cutting board. Twist tail from joint where it meets the body. Cut tail in half down center, keeping shell halves intact. Pull each tail half from its shell, and cut crosswise into 3/4-inch-thick medallions. Arrange cut pieces in shells. Twist claws from body, and discard body. Separate claws from knuckles. Crack knuckles, and remove meat. Discard knuckle shells. Grasp "thumb" of claw, and bend it back to snap it off. Crack claws, and remove meat. Discard claw shells. Repeat with remaining lobsters.

Arrange lobster pieces on a platter, and serve with butter and lemon.


Celebrating 35 Years - Scrod Jason

Flavorful, mild whitefish topped with a blend of wine, cheese, garlic, butter, and bread crumbs. Baked and served over rice pilaf

Tasty shrimp, scallops, and crabmeat. Served in a puff pastry and topped with a white wine sauce

Our Signature Dish - Onion Crusted Salmon

An Atlantic salmon fillet baked with our unique crisp onion topping served over rice pilaf

Nine plump, tender shrimp dipped in Leverock’s original wet batter recipe and fried golden brown


It would be a crime to have a list of the best food in Turks and Caicos without first paying homage to the island nation’s national dish: Cracked Conch. And, if you enjoy conch fritters, you will be sure to love the deep-fried variation on this iconic Caribbean cuisine, which features less batter and more conch. While conch fritters are traditionally served with hot sauce, cracked conch often comes with fries and a spicy dipping sauce.

We recommend ordering the dish at Da Conch Shack, a Providenciales institution that happens to be one of the best places to feast on this pastel mollusk in the entire West Indies.


Assista o vídeo: #canário belga algumas dicas de alimentação rápida (Pode 2022).